Como conseguir aporte financeiro para sua startup

aporte financeiro0
Blog > Financeiro > Como conseguir aporte financeiro para sua startup

Com exceção de empreendedores autossuficientes, conseguir um aporte financeiro é o que toda startup precisa para escalar.

Captar recursos, entretanto, não é uma missão simples: exige preparo, disciplina e persistência, principalmente nas fases pré-seed e seed

A boa notícia é que há diferentes fontes de recursos, seja investidores-anjo ou fundos de capital de risco.

Se você quer descobrir como conseguir aporte financeiro para a sua startup, avance na leitura.

O que é aporte financeiro?

Aporte financeiro é a injeção de capital ancorada por um investidor ou fundo de investimento em uma startup ou qualquer outro projeto.

Ao aportar recursos, o investidor contribui financeiramente com a iniciativa, subsidiando-a na expectativa de obter retorno positivo. 

No caso das startups, em troca do aporte de recursos financeiros, os investidores geralmente ficam com uma participação societária no negócio. 

Em casos menos comuns, o aporte financeiro pode acontecer também via operações de empréstimos, como linhas de financiamentos. 

São situações em que o credor não fica com uma parte da empresa, mas assume o risco de crédito e pode sair no prejuízo caso a startup não honre com os compromissos.

Tipos de aporte financeiro

Os aportes em startups no Brasil foram de US$ 9,4 bilhões em 2021, mais do que o dobro do ano anterior, conforme um levantamento da plataforma Distrito, divulgado pela CNN.

O crescimento no volume de investimentos denota que há, de um lado, investidores em busca de boas oportunidades, e de outro, empreendedores com boas ideias de negócio.

Nesse mercado, as principais fontes de aporte financeiro para empresas inovadoras de base tecnológica são:

1. Investidor-anjo

O investidor-anjo, que pode ser pessoa física ou jurídica, geralmente é alguém com experiência nos mercados financeiro e empresarial.

Sua atuação como sócio-investidor não se restringe ao aporte financeiro na startup.  

Ao identificar empresas com alto potencial de escalabilidade, o investidor-anjo também participa efetivamente da gestão.

2. Fundos venture capital

Os fundos venture capital, ou capital de risco, também são fontes muito procuradas pelos empreendedores.

Cada fundo tem regras e parâmetros específicos que norteiam a política de investimento, como preferência por determinado segmento de atuação, tamanho da startup, entre outros. 

Em geral, os fundos compram uma parte da empresa na intenção de fazer o desinvestimento quando a startup alcança determinado patamar, embolsando os lucros.

Trata-se de um tipo de aporte financeiro direcionado a startups em estágios mais avançados, como early stage e growth stage.

3. Plataformas de crowdfunding

As plataformas de crowdfunding também são importantes fontes de recursos para as startups.

Devido à abrangência digital, é possível captar dinheiro de vários investidores ao mesmo tempo, democratizando o acesso. 

Algumas plataformas são classificadas como distribuidoras de valores mobiliários, permitindo aos investidores se tornarem sócios das startups.

Importância do aporte financeiro para empresas

Sem aporte financeiro, uma startup com alto potencial de escalabilidade e lucratividade dificilmente consegue sobreviver.

Afinal, para desenvolver soluções inovadoras, muitas delas disruptivas e radicais, esses novos negócios queimam muito caixa antes de os lucros aparecerem. 

Não por acaso, várias startups que alcançaram o sucesso precisaram pivotar durante a fase de validação de hipóteses, mudando completamente de direção.

O aporte financeiro, portanto, é o que garantirá a sobrevivência da startup até o break-even point.

Exemplos de aporte financeiro

Os aportes financeiros das rodadas de investimento costumam ser classificados em fases, como Série A, B, C e assim por diante.

A classificação diz respeito ao nível de maturidade do negócio

Uma rodada Série A, por exemplo, abrange startups que têm um modelo de negócio construído, clientes e alguma receita, mas precisam de recursos para escalar

A Série B contempla startups que evoluíram com os recursos da Série A e estão ampliando horizontes, inclusive por meio de fusões e aquisições.

À medida que novas rodadas acontecem, a percepção de risco diminui, considerando que o negócio ganha cada vez mais tração, e os aportes aumentam.

O Brasil tem exemplos de aportes financeiros de encher os olhos. Veja alguns:

  • Buser: com expectativa de crescer 10 vezes até o final de 2022, a plataforma de intermediação de viagens de ônibus captou R$ 700 milhões em uma rodada de investimentos Série C em meados de 2021. A operação envolveu diferentes fundos de investimento, alguns com participações em séries anteriores
  • Quinto Andar: em maio de 2021, a plataforma de intermediação de vendas e aluguéis captou mais de US$ 120 milhões em uma extensão de rodada Série E, passando a valer mais de U$ 5 bilhões. Os recursos foram aportados por um fundo americano e por uma empresa chinesa
  • iFood: a Movile, holding dona do iFood, também recebeu aporte da ordem de R$ 1 bilhão em meados de 2021, o maior investimento primário em uma única rodada desde a fundação da startup. O investimento foi feito por um grupo global de internet, que investe no iFood desde 2008.

Como conseguir aporte financeiro: 3 dicas

Se você também precisa de aporte financeiro para escalar sua startup, confira algumas dicas de como encontrar o investidor certo para o seu negócio.

1. Conheça o investidor

É importante que você conheça o perfil do investidor para aumentar as chances de sucesso nas rodadas de captação de recursos.

Alguns investidores-anjo e fundos venture capital são bem específicos em sua política de investimento quanto ao segmento de atuação e ao estágio da startup. 

Embora o interesse maior desses investidores seja por startups em fases avançadas, há recursos para negócios em fase de MVP e ideação.

2. Capriche no pitch deck

O pitch deck é uma das principais ferramentas de divulgação e “venda” do seu negócio. 

Seu propósito é reunir, em poucos slides, a essência da startup, bem como a proposta de aporte financeiro.

Você pode contar, na forma de uma história, como encontrou a oportunidade de negócio e como pretende desenvolvê-la.

3. Prepare-se para a due diligence

Feito o dever de casa, esteja preparado para a due diligence, a diligência prévia que faz parte do processo de aporte financeiro em sua startup.

No vídeo abaixo você confere mais dicas de como se preparar.

O objetivo é manter a startup organizada contábil e financeiramente, dentro dos melhores enquadramentos jurídicos, de maneira a facilitar a entrada de novos sócios. 

Para isso, conte com a parceria estratégica da Comece com o Pé Direito, uma empresa de contabilidade online que entende o universo das startups e scale-ups.

Na Comece com o Pé Direito, você tem serviços de abertura de empresa, terceirização financeira e de RH, contabilidade consultiva, Business Intelligence e muito mais.

Leave a Reply