Big Data na Indústria 4.0: como sua startup pode aproveitar

big data indústria 4.00
Blog > Inovação > Big Data na Indústria 4.0: como sua startup pode aproveitar

Pode-se afirmar que o uso do Big Data na Indústria 4.0 se tornou uma tendência entre as empresas do setor. 

A razão é simples: por meio da análise de dados e de outros conceitos ciberfísicos, é possível aumentar a eficiência operacional, aprimorar produtos e ganhar vantagem competitiva.

Você se interessa pelo assunto? 

Nas próximas linhas, descubra como o Big Data na Indústria 4.0 pode representar ótimas oportunidades de negócio para a sua startup.

Big Data na Indústria 4.0: oportunidade de crescer

O Big Data na Indústria 4.0 pode ser um oceano azul – ou seja, um ramo promissor com muito espaço para crescer e poucos concorrentes – para as startups interessadas em propor soluções para a produção industrial.

A partir do uso inteligente dos dados, é possível criar processos mais eficientes, otimizar produtos e reduzir custos, tornando a indústria mais competitiva e lucrativa.

Para navegar por esses mares, entretanto, o empreendedor precisa conhecer os princípios básicos do Big Data, também conhecidos como “5 V”.

São eles:

1. Volume: grande quantidade de dados medidos em terabytes ou zettabytes

2. Variedade: como são provenientes de diferentes fontes, os dados podem ser estruturados, semi-estruturados ou não-estruturados

3. Velocidade: na era da Indústria 4.0, a geração de dados por humanos e máquinas acontece em velocidade cada vez maior  

4. Veracidade: deve haver meios de checar a procedência dos dados

5. Valor: para quem tem as ferramentas certas de mineração e tratamento, os dados são ativos valiosos que podem gerar insights e permitir a antecipação de tendências. 

Big Data em startups

O termo Big Data pode ser definido como um banco de dados gigante impossível de ser analisado por sistemas convencionais. 

As fontes que alimentam essa “mina de informações” podem ser classificadas em:

  • Social data: dados originários de curtidas e comentários em redes sociais e outros ambientes de interação
  • Enterprise data: dados produzidos dentro do ambiente empresarial, como setor de vendas, de RH, operacional, etc.
  • Personal data: dados de usuários captados por dispositivos diversos, como smartphones, TVs e outros aparelhos de uso pessoal conectados à internet.

Segundo um estudo divulgado pelo portal Terra, o Big Data é usado por mais de 40% das empresas em todo o mundo com o objetivo de modernizar o negócio

Conforme o relatório, as organizações que usam o Big Data, inclusive na indústria 4.0, aumentaram os lucros em 8% e reduziram os custos em 10%.

Indústria 4.0 em startups

O nome Indústria 4.0 é uma referência à quarta revolução industrial, da qual fazem parte conceitos como Inteligência Artificial (IA), manufatura avançada e poder computacional. 

O Big Data na Indústria 4.0, portanto, é o uso da análise de dados no aprimoramento dos processos de produção, visando à redução de custos e ao aumento da produtividade

E como as startups podem se aproveitar disso?

Uma das maneiras é através da criação e aprimoramento de ferramentas de Big Data para a indústria em seus mais diversos segmentos.

Segundo um estudo da plataforma Distrito, denominado Distrito Indústria 4.0 Report 2021, o número de startups que oferecem soluções para a indústria 4.0 cresceu 427% em um ano

As principais soluções estão concentradas em quatro áreas:

1. Inteligência Artificial (IA): inclui inteligência analítica, automação dos processos de produção e visão computacional (processamento de imagens do mundo real por um computador)

2. Poder computacional: Cloud Computing (computação em nuvem), Internet das Coisas (IoT) e blockchain

3. Manufatura avançada: soluções para fábricas inteligentes, biotecnologia e manufatura aditiva (feita a partir de modelos digitais)

4. Interação homem-máquina: realidade aumentada, wearables (dispositivos “vestíveis”) e robótica.

Como usar o Big Data em startups industriais

Você pode usar o Big Data na Indústria 4.0 de diferentes maneiras, dependendo do modelo de negócio de sua startup. 

Caso você atue como B2B, em que seus clientes são outras empresas, pode usar a análise de dados para desenvolver soluções para seus clientes.

Se for pelo modelo B2C, em que seus clientes são consumidores finais, o Big Data na Indústria 4.0 pode ser usado para aprimorar processos e desenvolver seus próprios produtos e soluções.

Em ambos os casos, o uso do Big Data segue basicamente três passos:

1. Data mining: fase de mineração dos dados, quando a startup, de posse das ferramentas adequadas, reúne os dados de seu interesse

2. Data preparation: fase de higienização e tratamento dos dados

3. Machine learning: aprendizado de máquina e automatização de processos, tornando-os mais eficientes.

Então, gostou das dicas?

Se você é empreendedor e faz parte do ecossistema startup, aproveite para conhecer os serviços oferecidos pela Comece com o Pé Direito

Somos o principal player do segmento de contabilidade e gestão de dados com foco no mercado de tecnologia e startups no Brasil.

Oferecemos pacotes completos para a gestão do seu back office, desde abertura de empresa, contabilidade consultiva, BPO financeiro até Business Intelligence.

Clique aqui e saiba mais!

Related Posts

Leave a Reply