Capital semente: vantagens e riscos desse investimento em startups

capital semente0
Blog > Gestão > Capital semente: vantagens e riscos desse investimento em startups

Já imaginou como o capital semente pode ajudar sua startup a nascer e crescer? 

De repente você tem uma ótima ideia, cria um plano razoável, mas falta um ingrediente fundamental: recurso financeiro.

A solução pode ser o capital semente (seed money, em inglês). 

Trata-se de um tipo de aporte, geralmente ancorado por fundos de investimentos, que ajuda empresas promissoras a ganharem musculatura.

Para empreendedores, é uma importante fonte de captação

Para investidores, uma maneira de participar de negócios disruptivos com condições de se transformarem em grandes empresas no futuro.

Siga a leitura e descubra as oportunidades e os riscos desse mercado.

O que é capital semente?

Capital semente, ou seed money, é um tipo de aporte financeiro destinado a startups ainda em fases embrionárias.

Geralmente são recursos provenientes de fundos de investimento que têm como propósito tornar mais fértil o ambiente de negócios para startups de grande impacto. 

Com o capital semente, o empreendedor tem o impulso necessário para tirar a ideia do papel e começar a estruturação do seu negócio.

O recurso pode ser usado para pagar as despesas iniciais, fazer pesquisas, contratar profissionais ou desenvolver o MVP (Minimum Viable Product).

Embora seja mais comum em startups recém-nascidas, o capital semente também pode oxigenar negócios que já tenham algum histórico de mercado.

É o caso, por exemplo, dos projetos de expansão ou da criação de novos produtos e serviços.

Etapas do investimento capital semente

O aporte de capital semente ocorre nas fases iniciais de uma startup, quando o negócio ainda está sendo modelado. 

São as chamadas fases pré-seed e seed, etapas nas quais ocorrem a validação da ideia, a identificação do público e do mercado ideal. 

As startups geralmente são categorizadas em fases, sendo as principais:

  • Pre-seed: fase de pesquisa, identificação do produto/serviço e MVP
  • Seed: aperfeiçoamento do produto e primeiros sinais de potencial crescimento
  • Série A: evidências de que o modelo de negócio é escalável
  • Série B: comprovação de que o negócio é lucrativo
  • Séries C e D: crescimento em larga escala e lucratividade.

Conforme levantamento do Distrito Dataminer, os valores de financiamento variam de uma fase para outra.

Uma startup em fase pré-seed pode conseguir até R$ 500 mil.

Nas séries C e D, os aportes podem superar os R$ 50 milhões. 

O capital semente se concentra nas fases iniciais e deve ser entendido como um investimento de longo prazo.

Afinal, a empresa precisa usar o recurso para colocar sua estrutura de pé, aprimorar o produto/serviço, buscar o crescimento em escala para depois oferecer o ROI esperado.

Portanto, entre o investimento e o desinvestimento, há um espaço considerável de tempo que varia conforme a dinâmica de cada modelo de negócio. 

Vantagens e riscos do capital semente

Para o empreendedor, o capital semente é uma fonte importante de recursos.

Para o investidor, representa oportunidade de participar de startups com alto potencial de crescimento e rentabilidade. 

Como todo investimento, há riscos e vantagens nesse tipo de operação.

Riscos

Os principais riscos para os envolvidos são:

  • O produto ou serviço criado não ser bem aceito no mercado
  • A startup falir por problemas de gestão
  • Aparecer muitos concorrentes e saturar o mercado
  • A solução apresentada não ser lucrativa como se imaginava.

Para gerenciar os riscos do capital semente, os fundos de investimento adotam a estratégia da diversificação.

Além de uma avaliação criteriosa de cada projeto, a diversificação reduz o impacto de eventuais falências.

Um estudo do Distrito Dataminer, considerando o período entre 2011 e 2020, mostra que de 1.066 captações de startups nos estágios pré-seed e seed, apenas 281 chegaram à série A.

Vantagens

As vantagens do capital semente são:

  • Expectativa de Retorno Sobre Investimento (ROI) acima da média de outros tipos de investimento (para o investidor)
  • Diversificação do portfólio e exposição a um mercado com crescimento exponencial (para o investidor)
  • Fonte de captação para alavancar projetos promissores (para o empreendedor)
  • Possibilidade de crescimento rápido e posicionamento no mercado (para o empreendedor).

No âmbito dos investimentos, a relação entre risco e retorno deve ser sempre levada em conta.

Se o risco é grande, o investidor exige um retorno igualmente alto (ou expectativa de retorno) como compensação.

Investimentos seguros, por outro lado, têm baixa rentabilidade porque o risco é pequeno.

Capital semente: 5 fundos e empresas para observar

Se você está precisando de recursos para dar a largada em sua startup, confira a lista de algumas instituições e fundos de investimentos de capital semente.

  1. Seed4Science: Fundo Capital Semente para empresas de base tecnológica da Fundepar, gestora especializada em negócios inovadores de alto impacto
  2. FIP Anjo Capital Semente: Fundo de Investimento em Participações Capital Semente administrado pela BRL Trust
  3. Criatec: fundos BNDES da Série Criatec (Criatec I, II e II), com participação da BNDESPAR, cujo principal objetivo é apoiar micro e pequenas empresas inovadoras
  4. Fundo Anjo: gerido pela Domo Invest, é um Fundo de Investimento em Participações que também nasceu da iniciativa do BNDES/BNDESPAR
  5. Confrapar: gestora de fundos de investimentos com foco em empresas de base tecnológica em estágio growth, cujo modelo de negócio já tenha sido provado. 

Como conseguir esse tipo de capital em startups

Os investidores estão sempre em busca das melhores oportunidades. 

Portanto, se seu projeto é promissor e você acredita na ideia, com preparo e esforço certamente conseguirá capital semente para fazer sua startup decolar. 

Confira as dicas a seguir de como aumentar suas chances de sucesso nas rodadas de investimento.

Tenha um bom plano de negócios

O plano de negócios será seu principal guia.

Ele deve conter informações claras sobre o tipo de solução que sua startup pretende oferecer, segmento de público, custos, estimativas de receitas e de retorno sobre o investimento.

Capriche no pitch deck

Ao apresentar sua ideia a potenciais investidores, explore as funcionalidades do pitch deck, com um destaque para o design.

Informações dispostas em formas de infográficos transmitem a essência do seu negócio sem perda de tempo, além de prender a atenção.

Participe de eventos especializados

Eventos corporativos são ocasiões propícias ao networking com potenciais investidores. 

Participe de feiras e workshops sempre que puder, pesquise sobre gestores de fundos de capital semente e estreite relações.

Não tenha dúvidas de que dicas como essas ajudarão você a convencer as pessoas certas de que sua ideia de negócio faz sentido.

Então, pronto para escalar?

Lembre-se de que é preciso estar com as finanças em dia para crescer sustentavelmente.

Se precisar de ajuda, conte com os serviços de terceirização contábil e financeira da Comece Com o Pé Direito.

Nosso trabalho é descomplicar o seu.

Leave a Reply