Como captar dinheiro para escalar o seu negócio?

como captar dinheiro0
Blog > Financeiro > Como captar dinheiro para escalar o seu negócio?

Se você quer saber como captar dinheiro para sua startup, saiba que não está sozinho.

Muitos empreendedores descobrem ótimas oportunidades de negócio, mas no momento de colocar o plano em prática esbarram na falta de recursos.

A boa notícia é que é possível captar dinheiro em diferentes fontes no mercado, dependendo do estágio da sua empresa.

O ecossistema startup tem crescido substancialmente em todo o mundo e chamado atenção de investidores pelo alto potencial de retorno.

Conforme levantamento divulgado pelo InfoMoney, o volume de captações no primeiro semestre de 2021 bateu recorde no Brasil: US$ 5,2 bilhões, ou seja, cerca de R$ 29,53 bilhões.

Mas isso não significa que pelo simples fato de você criar uma empresa de base tecnológica os recursos virão automaticamente.

Para descobrir como captar dinheiro, é preciso analisar as opções que se adequam a sua realidade e sair em busca da melhor oportunidade.

Se é dinheiro que você precisa para escalar seu negócio, continue a leitura e descubra onde encontrar.

Sua startup precisa saber como captar dinheiro

Ser bem-sucedido é um desejo com muitas variáveis, e elas vão depender do quão organizado você é, do quanto do mercado você conhece, do quanto está disposto a enfrentar novos desafios e a romper com antigos modelos de gestão etc.

Daria para fazer um texto só com perguntas para você responder na hora de pensar em abrir um negócio, focando no nível de sucesso que você quer atingir.

Porém, para alcançar o tão sonhado sucesso, é preciso antes saber captar dinheiro para escalar seu negócio.

Afinal, é comum que no começo da vida empreendedora você não tenha todo o dinheiro necessário para investir na sua ideia.

Talvez você até já tenha pausado o começo do seu negócio por falta de capital.

De qualquer maneira, é importante você saber que há boas alternativas para qualquer que seja a sua situação atual.

Isso porque há vários caminhos para captar recursos: aceleradoras, investidores anjo, financiamento coletivo, linhas de crédito e por aí vai.

Vamos entender melhor como cada opção funciona?

Então prepare-se, pois chegou a hora de juntar dinheiro e colocar o seu negócio para funcionar!

Modalidades para captar dinheiro em startups

Ok, ter recursos é essencial para começar um negócio.

Sabendo disso, surge um novo desafio: qual é a melhor forma de captar dinheiro para escalar o negócio?

Atirar para todos os lados não trará necessariamente o recurso correto até você. 

Somente entendendo as características de cada um é que você conhecerá todas as vantagens e desvantagens, para então focar os seus esforços. 

Você pode escolher entre o capital externo, podendo envolver empréstimos ou venda de ações para outras empresas ou investidores, ou também alguns tipos de investimentos e financiamentos.

Conheça detalhes sobre as opções.

Financiamento Coletivo

Sabe aquela vaquinha online que você transfere uma quantia em dinheiro para ajudar um projeto que você acha legal? 

É exatamente isso que estamos falando, o famoso crowdfunding. 

É uma ferramenta para que as pessoas possam colocar dinheiro em ideias e obter algum benefício ou produto que você pretende disponibilizar. 

O crowdfunding é ótimo para ideias que precisam de um valor de investimento mais baixo e que são super inovadoras, já que, para dar certo, é necessário algumas peças bem descoladas de marketing para conquistar o público.

Empréstimos

Essa é a forma mais tradicional e você já deve conhecer muito bem.

A sua empresa firma contrato com um banco – ou outra instituição financeira – em troca de um valor determinado, com prazos e compensações também determinadas. 

A grande vantagem aqui é que você não precisa destinar esse dinheiro para áreas ou metas específicas, basta pagar tudo em dia para não sofrer com os juros estabelecidos. 

Para além do pagamento de taxas fixas mensais, o lucro excedente é todo seu. 

Tudo que pode ser bom, pode ser ruim também. 

Um empréstimo faz com que você, empresário, precise ter muito mais controle dos pagamentos e das ações realizadas dentro da verba disponível. 

Uma dívida com o banco reduz a confiabilidade do seu negócio e faz com que você se torne vulnerável frente ao mercado.

Linhas de crédito

Muito parecido com o empréstimo, o grande diferencial aqui é que não é preciso pagar imediatamente o valor.

Você pode pegar o dinheiro pré-aprovado e retirar ele somente quando precisar, de acordo com a demanda que surgir.

Se você tem um plano super ajustado e sabe no que quer investir e de qual forma, essa modalidade é pra você.

Bem como os empréstimos, você conhece as linhas de crédito em instituições financeiras.

Investimentos

Os investimentos externos para captar recursos para escalar exigem certo nível de maturidade de um negócio. 

Isso porque cada investidor tem formas diferentes de contribuir, financeira e educacionalmente, e tem exigências bem específicas.

Alguns dos principais modelos de investimento são:

Aceleradoras

As aceleradoras – ou incubadoras – são preparadas para trabalhar com empresas startups

Elas apoiam os empresários e fornecem informações e metodologias eficazes para escalar o negócio. 

Seus programas são super intensivos – cerca de seis meses – e elas estruturam, testam, viabilizam e aceleram o crescimento de ideais.

As aceleradoras constroem pontes para networking e troca de conhecimento com outros empreendedores na mesma fase do seu negócio.

Investidor-anjo

Como a gente já falou neste artigo aqui, investidores anjo são, normalmente, pessoas físicas – mas podem ser jurídicas também – que investem em empresas, principalmente aquelas em fase inicial

É alguém que conhece o mercado no qual está inserido e que tem segurança para investir.

Porém, o dinheiro investido pelo anjo de forma alguma poderá ser considerado como capital social da empresa.

Sendo assim, não há possibilidade de ser conceituado como sócio, bem como manter a gestão e decisão na empresa.

Seu prazo de participação também fica restrito: até, no máximo, sete anos.

Venture Capital

Os fundos de venture capital (VC) procuram apoiar aquelas empresas de pequeno e médio porte que, em sua visão, possuem um alto potencial para se tornarem grandes empresas. 

O dinheiro proveniente de VC financia a expansão das empresas para alcançar níveis mais altos no mercado em que está inserida, e é por isso que a duração dessa modalidade é de cerca de sete anos. 

Empresas que recebem o investimento por VC são aquelas que desejam expandir o seu negócio, local ou internacionalmente, e realizar aquisições ou fusões.

Há, no venture capital, dois tipos principais de investimentos:

  • Fase inicial – early stage: onde os investidores escolhem empresas com até 4 meses de mercado e faturamento que não ultrapasse os R$ 10 milhões
  • Fase posterior – later stage: que entram quando a empresa está mais estabelecida e já comercializa seus produtos e apenas depende de mais recursos.

Quando ir em busca de dinheiro para a startup?

A menos que você seja autossuficiente, descobrir como captar dinheiro faz parte dos desafios enfrentados na sua jornada empreendedora.

Não há como desenvolver um modelo de negócio, por mais leve que seja, sem investimento de capital. 

Devido às características intrínsecas, as startups consomem muito caixa até conseguir alcançar o break-even point (quando despesa e receita se equilibram).

Como atuam no desenvolvimento de produtos e serviços que precisam ser validados, fazem captações em etapas, à medida que os milestones são alcançados.

Nas primeiras fases (principalmente pré-seed e seed), quando o empreendedor ainda está modelando o produto ou serviço, as dificuldades de captar dinheiro são maiores. 

Os investidores-anjo, fundos de investimento ou instituições financeiras classificam essas fases das empresas tecnológicas com as de maior risco. 

Entre a inauguração e a estreia no mercado está a chamada zona de morte, quando o índice de insucesso dos negócios inovadores é muito superior aos modelos tradicionais.

Dificuldade de captação varia conforme a fase da startup

Quando o empreendedor consegue captar dinheiro nas fases iniciais, os aportes (chamados de capital semente) também são menores. 

Conforme levantamento do Distrito Dataminer, um negócio pré-seed pode conseguir até R$ 500 mil em uma rodada de investimento.

À medida que os milestones vão sendo alcançados e as evidências de que o negócio pode se tornar um sucesso começam a aparecer, captar dinheiro também fica mais fácil

A partir da fase growup, os investidores-anjo, fundos venture capital e outras importantes fontes de recursos se sentem mais confortáveis em abrir a carteira. 

Em geral, é a partir daí que o negócio alcança o break-even point e começa a ganhar tração. 

Se você ainda não chegou lá, tenha calma. 

Descobrir como captar dinheiro quando tudo que você tem é uma ideia disposta em um plano de negócios não é tarefa fácil. Mas é possível. 

fundos de investimento de capital semente dedicados a startups em fases embrionárias, organizações que oferecem auxílio técnico e financeiro (venture building), dentre outras alternativas.

4 dicas para captar dinheiro e escalar o seu negócio

Como captar dinheiro nas primeiras fases de uma startup é mais difícil devido ao risco elevado, uma estratégia é fazer captações em etapas, à medida que o negócio amadurece.

Nas primeiras fases, conforme levantamento do Distrito Dataminer, os aportes giram em torno de R$ 500 mil – nas fases mais avançadas, podem chegar a R$ 50 milhões.

Para ajudar você a obter o capital necessário para escalar o seu negócio, preparamos as seguintes dicas:

1. Elabore um plano de negócios

O plano de negócios é um documento indispensável a todo tipo de empresa, independentemente do segmento.

Nas startups, é o plano de negócios que vai orientar o gestor sobre as principais decisões, inclusive sobre a necessidade de recursos financeiros.

O planejamento deve conter informações sobre o que a empresa pretende oferecer, para qual tipo de público, quanto vai precisar de investimento e de onde virão as receitas.

2. Avalie as alternativas de captação

Você precisa analisar também quais opções de captação são mais adequadas para a sua empresa de acordo com cada fase.

Se seu negócio está na fase pré-seed ou seed, há fundos de capital semente ou financiamento coletivo destinado a negócios com esse nível de risco. 

Se você já construiu o MVP e está em fase de validação, seu negócio pode atrair a atenção de fundos de venture capital ou investidores-anjo.

As linhas de crédito também são alternativas, mas é preciso considerar o custo do dinheiro.

Portanto, faça as contas e consulte seu plano de negócios antes de tomar qualquer decisão.

3. Capriche no pitch de apresentação

O pitch deck é uma apresentação resumida do seu plano de negócios a potenciais investidores. 

É o momento de vender a ideia, de mostrar que seu negócio tem potencial para trazer um ótimo retorno sobre o investimento. 

Tenha em mente que os investidores-anjo e gestores de fundos analisam muitos pitchs, então, o seu precisa se destacar.

Seja criativo, use um design agradável, capriche nas informações visuais e seja objetivo.

4. Invista em networking

Independentemente da fase em que sua startup estiver, não negligencie o networking. 

Você precisa estar onde as fontes de recursos estão. 

Participe de eventos corporativos especializados, marque presença nas redes sociais e crie relacionamento com potenciais investidores. 

Além de descobrir como captar dinheiro, você pode ter insights interessantes que vão ajudá-lo no aperfeiçoamento do seu projeto.

O papel da contabilidade na captação de dinheiro

Como você percebeu, não basta ter uma boa ideia.

É preciso saber como captar dinheiro para colocá-la em prática. 

Avalie bem em qual estágio está o seu negócio para, então, fazer uma escolha esperta e decolar em direção ao sucesso.

Dependendo do modelo de negócio, você pode precisar recorrer às rodadas de investimento várias vezes até que sua empresa consiga andar sozinha.

Nesse aspecto, o papel da contabilidade é fundamental. 

Se você não tiver um controle eficiente dos números e um bom planejamento contábil e financeiro, não conseguirá convencer os investidores a colocar dinheiro em sua startup.

Afinal, eles querem saber de que forma os recursos serão aplicados e quais são as expectativas de retorno.

Ignorar os riscos irá te fragilizar frente ao mercado e minar a sua capacidade de gerenciar o seu negócio.

A boa notícia é que esse problema pode ser facilmente solucionado

Para ajudar seu negócio a decolar, a Comece Com o Pé Direito oferece soluções completas em gestão contábil e fiscal para você focar no que realmente importa.

Leave a Reply