Edtech: o que é, exemplos no Brasil e como investir na educação digital

Edtech1
Blog > Inovação > Edtech: o que é, exemplos no Brasil e como investir na educação digital

Do ensino básico à qualificação profissional, as edtechs têm uma missão importante na transformação do modelo educacional brasileiro.

Para isso, fazem uso de diferentes estratégias digitais aplicadas ao ensino-aprendizagem, como ciência de dados, gamificação e aprendizado de máquina. 

Trata-se de um mercado repleto de oportunidades, que não se restringe à sala de aula, como você confere ao longo deste artigo.

O que é edtech?

Edtech é uma startup focada em oferecer soluções tecnológicas educacionais, a exemplo do que são as fintechs para o mercado financeiro ou as foodtechs para o ramo de alimentação. 

O termo tem origem em duas palavras em inglês: ed (de education) e tech (de technology).

O principal objetivo das edtechs é reinventar processos, criar novas soluções dentro e fora de sala de aula, encurtar distâncias e democratizar o acesso à educação.

As soluções, relacionadas tanto à didática de ensino quanto à gestão de empresas educacionais, podem ser softwares, plataformas de conteúdo, robótica, games, realidade virtual e muito mais.

Como funciona uma plataforma edtech

Uma edtech pode funcionar de diversas maneiras, dependendo do modelo de negócio e do nicho de atuação

Como regra básica, esses negócios inovadores usam a tecnologia para aprimorar o processo de ensino-aprendizagem, por exemplo, através da inteligência artificial, análise de dados, entre outras soluções.

O roteiro de criação e funcionamento de uma edtech se resume basicamente em:

  • Descoberta da oportunidade de negócio
  • Proposta de valor
  • Teste de mercado
  • Lançamento da solução.

Um estudo da Associação Brasileira de Startups (Abstartups), em parceria com o Centro de Inovação para Educação Brasileira, divide os segmentos de atuação dessas empresas tecnológicas em quatro:

1. Plataformas

2. Ferramentas

3. Conteúdos

4. Hardware.

A pesquisa, que mapeou 566 edtechs ativas em 2020, classifica as edtechs também conforme o tipo de tecnologia oferecida, sendo as principais: 

  • Plataforma de conteúdo online: 165 edtechs
  • Jogo educativo: 27 edtechs
  • Objeto Digital de Aprendizagem (ODA): 21 edtechs
  • Ferramenta de apoio à gestão administrativo-financeira: 23 edtechs
  • Ferramenta de apoio à gestão pedagógica: 31 edtechs
  • Ferramenta de avaliação do estudante: 53 edtechs
  • Sistema de gestão educacional (SIG | SIS): 25 edtechs
  • Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA): 31 edtechs. 

O modelo de negócio pode ser SaaS (software como serviço), venda direta, clube de assinatura, marketplace, API, venda de dados, entre outros. 

É importante que o empreendedor que queira explorar as oportunidades desse mercado compreenda a dinâmica da sala de aula e a importância da interação e do engajamento.

Não basta criar soluções tecnológicas solitárias focadas apenas em hard skills, como os EADs tradicionais.

É preciso pesquisar a realidade educacional para propor soluções que otimizem métodos e processos, tornando-os mais eficientes.

Exemplos de edtech no Brasil

O Brasil tem bons exemplos de edtechs focadas em solucionar os mais diversos gargalos da educação.

Confira alguns:

Eduk

Lançada em 2013, a Eduk é uma plataforma de educação online de cursos profissionalizantes.

É uma das precursoras de um método de ensino que inclui técnicas divertidas e lúdicas, como games e músicas.  

Niduu

Focada em educação corporativa, a Niduu, edtech criada em 2017, se dedica em oferecer treinamentos de acordo com a demanda de cada organização. 

Para isso, adota técnicas de gamificação e microlearning que permitem o monitoramento da performance dos colaboradores.

Witseed

Voltada à produção de conteúdo audiovisual para educação corporativa, a edtech Witseed se dedica a oferecer ensino contínuo (lifelong learning).

Os clientes pagam anuidades para acessar o conteúdo sobre diferentes temas, como liderança, comunicação, entre outros.

Descomplica

Focada em estudos preparatórios para o Enem e vestibular, a edtech Descomplica também oferece cursos livres e empresariais

Após receber aporte de R$ 450 milhões em uma rodada de investimentos, passou a oferecer também graduação e pós-graduação digital.

Mundo 4D

Criada com o objetivo de levar a robótica às crianças da Educação Básica, a edtech Mundo 4D estimula o uso de materiais recicláveis e sucatas na criação de diversos projetos. 

A startup educacional surgiu de um projeto voluntário de ensino de tecnologia, com a missão de levar a educação 4.0 para dentro da sala de aula por meio da experimentação.

Principais desafios em startups edtechs

Com o crescimento do ensino remoto e híbrido, surgiram diversas oportunidades para as edtechs, não há dúvidas.

Contudo, há desafios importantes a serem superados, sobretudo no alinhamento entre as startups educacionais e o setor público.

Os processos de compras públicas, por exemplo, ainda são muito engessados, realizados por meio de processos licitatórios formatados para empresas tradicionais.

Esse é um ponto de atenção, sobretudo considerando que uma parte importante da demanda por tecnologias educacionais está na educação pública.

Do ponto de vista de gestão, as edtechs também enfrentam outros desafios, como testar e aprovar o modelo de negócio, captar recursos e desenvolver estratégias de retenção de talentos

Como criar uma edtech de sucesso

Se você está pensando em criar uma edtech e explorar as oportunidades do mercado de educação digital, confira algumas dicas.

Descubra uma oportunidade

O primeiro passo é encontrar uma oportunidade de negócio que faça sentido.

Como vimos, as edtechs podem atuar dentro da sala de aula ou nos bastidores, oferecendo soluções inovadoras para a gestão administrativa e pedagógica. 

Valide a ideia

Em seguida, é fundamental que você valide sua ideia junto ao público-alvo, por exemplo, por meio do MVP

Essa fase é essencial para aumentar as chances de escalabilidade do negócio. 

Muitas startups morrem prematuramente por não darem a devida importância ao que Steve Blank denomina de customer development (foco no cliente).

Monte uma boa equipe

Estruturar a equipe, principalmente nos estágios iniciais de uma edtech, não é tarefa fácil. 

Afinal, nem sempre há recursos suficientes para oferecer boa remuneração e competir com outras empresas pelos melhores talentos.

Mas há maneiras de contornar desafios como esses, seja selecionando profissionais que acreditam no projeto ou adotando o modelo partnership.

Busque recursos

As startups são modelos de negócio que queimam muito caixa até entregar os primeiros resultados. 

Para conseguir ultrapassar o break-even point, é bem provável que você precise de aporte de recursos

Com um plano de negócios enxuto, crie um pitch deck com as ideias centrais do seu negócio e recorra às principais fontes de recursos. 

Investidores-anjo, fundos venture capital e crowdfunding são algumas opções.

Cuide da organização contábil e financeira

Apesar de ser uma regra básica, muitos gestores não cuidam das finanças do negócio como deveriam, seja por falta de tempo ou de pessoal qualificado. 

Esse é um problema que pode ser facilmente solucionado com a parceria da Comece com o Pé Direito

Somos uma plataforma de contabilidade que entende como ninguém o universo das startups

Cuidamos das rotinas financeiras e contábeis da sua edtech, oferecendo serviços completos, inclusive contabilidade consultiva, para você ter tempo para cuidar do que realmente importa.

Quer saber mais sobre como podemos ajudar o seu negócio a dar certo?

Clique aqui e tire suas dúvidas!

Leave a Reply