Empreendedorismo corporativo: como estimular em startups

empreendedorismo corporativo0
Blog > Empreendedorismo > Empreendedorismo corporativo: como estimular em startups

O empreendedorismo corporativo tem tudo a ver com o ambiente de trabalho descentralizado, colaborativo e autogerenciável das startups

Ao permitir que os colaboradores tomem iniciativa e apresentem suas ideias, esse modelo de gestão contribui com o sucesso do negócio de maneira surpreendente.

Organizações renomadas, como Google, Intel, Facebook e Microsoft, adotam o empreendedorismo corporativo como estratégia de inovação e crescimento. 

Quer saber como fazer isso em sua startup?

Então, continue a leitura a seguir e anote as dicas!

O que é empreendedorismo corporativo?

Empreendedorismo corporativo é um modelo de gestão que encoraja colaboradores a idealizar, coordenar e realizar projetos empreendedores dentro da organização, seja ela uma empresa consolidada ou uma startup.

Conhecido também como intraempreendedor, o empreendedor corporativo tem visão de negócio e toma iniciativas que podem impactar positivamente a trajetória da empresa.

No contexto das startups, em que o carro-chefe é a busca por soluções inovadoras, o empreendedorismo interno tem um papel ainda mais relevante.

Afinal, a resposta para uma pergunta ou a solução para um problema de ordem operacional ou estratégica podem vir de onde menos se espera.

Para funcionar, o empreendedorismo corporativo precisa ser sustentado por dois pilares principais. São eles:

  1. Suporte da startup, que precisa adotar o intraempreendedorismo como uma política interna de compartilhamento de ideias e livre iniciativa
  2. Perfil do colaborador, que deve possuir características empreendedoras e aproveitar as oportunidades oferecidas pela empresa para expor seu ponto de vista.

Trata-se, portanto, de uma estratégia que faz parte da cultura organizacional da startup, pautada, sobretudo, na valorização e no reconhecimento das habilidades e experiências.

Características do empreendedor corporativo

Caso você esteja estruturando sua equipe e queira adotar o empreendedorismo corporativo, é importante ficar atento às principais características desse tipo de profissional

Veja algumas:

Visão sistêmica

O empreendedor corporativo entende como funciona a estratégia de negócio da startup e reconhece o seu seu papel no contexto da estrutura organizacional.

Em geral, é alguém que consegue antever problemas e propor soluções com mais rapidez e assertividade devido à “noção do todo” e não apenas das atribuições da sua competência.

Adaptação a mudanças

A adaptação a diferentes cenários é um requisito básico para quem está inserido no ecossistema startup

Como negócios inovadores, que buscam resolver algum problema para o qual ainda não há solução, essas empresas embrionárias lidam com altos níveis de incerteza.

Uma ideia pode parecer muito promissora no início e, mesmo assim, ser descartada após os testes de mercado.

O empreendedor corporativo compreende esse cenário e participa das mudanças, colaborando com ideias no que for possível.

Proatividade

O empreendedor corporativo também é proativo, ou seja, tem a habilidade de antecipar-se aos problemas com rapidez e eficiência.

Diferentemente do profissional reativo, que reage depois que o problema já aconteceu, o colaborador proativo assume responsabilidades e se coloca como parte da solução.

Em situações assim, o gestor deve dar espaço à autogestão e compreender que eventuais falhas fazem parte do processo evolutivo.

Capacidade inovadora

A capacidade inovadora não está ligada necessariamente à apresentação de ideias disruptivas.

Pode fazer parte, por exemplo, do contexto operacional do dia a dia

A inovação incremental, por exemplo, pode resultar em ganhos excepcionais ao aperfeiçoar processos, reduzir custos ou aprimorar serviços e produtos.

Qual a importância do empreendedorismo corporativo

Criar, dentro da startup, uma cultura organizacional que estimule o empreendedorismo corporativo significa criar condições para aproveitar ao máximo o potencial de sua equipe. 

Os resultados podem ser surpreendentes. 

Na 3M, por exemplo, há a “Lei dos 15%”, em que os colaboradores são estimulados a dedicar 15% do tempo de trabalho a algum projeto de motivação pessoal.

O case do Post-it é apenas um de diversos outros que nasceram de ideias inovadoras criadas a partir do estímulo ao empreendedorismo corporativo na empresa. 

Outras organizações adotam estratégias semelhantes: a Ernst & Young tem o “The Innovation Challenge”, um concurso interno entre funcionários. 

A PwC tem o “PwC Power Pitch”, também um concurso interno de inovação que premia a equipe que apresenta as melhores ideias de produtos ou soluções.

Os resultados são positivos tanto para a empresa, que pode ganhar em vantagem competitiva, quanto para as equipes, que trabalham muito mais motivadas e engajadas.

Como estimular o empreendedorismo corporativo em startups

Se você quer estimular o empreendedorismo corporativo em sua startup e abrir espaço para a criatividade, confira algumas dicas a seguir: 

Esteja aberto a novas ideias

O primeiro passo é ser receptivo a novas ideias, sem julgamentos prévios.

Você pode fazer uma espécie de concurso das melhores sugestões ou simplesmente debatê-las em conjunto, ouvindo opiniões diversas. 

No universo das startups, para se chegar a uma ótima ideia de negócio, é preciso antes ter muitas ideias.

Não recrimine eventuais erros

Os erros fazem parte do aprendizado e da evolução, sobretudo quando o objetivo é criar um negócio inovador para o qual ainda há poucas referências.

Gestores centralizadores e intolerantes a erros intimidam o empreendedorismo corporativo.

Reconheça uma boa ideia

O reconhecimento dos benefícios trazidos por uma boa ideia ao crescimento do negócio encoraja a equipe a buscar sempre novas soluções.

É fundamental que você, como líder da startup, compartilhe os benefícios, seja por meio de bônus, reconhecimento simbólico, gratificações ou participações nos lucros

Em alguns casos, os empreendedores corporativos podem, inclusive, se tornar sócios do negócio por meio do modelo de gestão partnership

No final, todos ganham.

A startup pode crescer muito mais rapidamente e alcançar a escalabilidade com a descoberta de novas soluções e novos mercados

O colaborador que é um empreendedor corporativo tem a satisfação de saber que faz parte de um projeto transformador.

Por fim, o cliente se beneficia de inovações transformadoras capazes de melhorar a vida em diferentes aspectos.

Viu só como o empreendedorismo corporativo pode ajudar a alavancar o seu negócio?

Se você gostou do artigo, comente e compartilhe com seus amigos nas redes sociais. 

Aproveite para conhecer os serviços contábeis oferecidos pela Comece com o Pé Direito, empresa de contabilidade online especialista em negócios inovadores. 

Oferecemos diversos serviços para startups e scale-ups, como BPO financeiro e de RH, Business Intelligence, contabilidade consultiva e muito mais. 

Com a parceria da Comece com o Pé Direito, você se livra das burocracias contábeis do dia a dia e ganha tempo para focar nas questões estratégicas do seu negócio!

Related Posts

Leave a Reply