5 táticas de engajamento à distância para motivar sua equipe na crise

De repente, o engajamento à distância se tornou prioridade e os líderes se esforçam para gerenciar suas equipes em home office. 

 

Tudo por conta da crise do coronavírus, que obrigou empresas a migrarem suas operações para o trabalho remoto em caráter de urgência — ou seja, sem a preparação adequada. 

 

E você? Está pronto para enfrentar os desafios do engajamento a distância e manter sua equipe produtiva durante o período de isolamento? 

 

Vamos ajudar com algumas táticas essenciais para cumprir essa missão. 

 

Leia agora e coloque em prática o quanto antes.

 

A urgência do engajamento à distância 

 

O engajamento à distância é uma das principais preocupações das empresas que migraram para o home office por conta da crise do coronavírus. 

 

Apesar dos inúmeros benefícios do trabalho remoto, a maioria das organizações não estava preparada para uma transição tão brusca, motivada pelo isolamento social e combate à disseminação da Covid-19. 

 

Segundo uma pesquisa da Gartner, feita com 800 líderes de RH do mundo todo e publicada em março de 2020, 88% das empresas adotaram ou encorajaram o home office durante a crise do coronavírus. 

 

No Brasil, esse índice é de 43%, segundo uma pesquisa realizada pela consultoria Betania Tanure Associados (BTA) e publicada no mesmo mês na Época Negócios. Vale lembrar que apenas 5,2% dos profissionais brasileiros trabalhavam de casa em 2018, segundo dados do IBGE publicados no G1. 

 

Para os líderes brasileiros, a maior dificuldade está sendo adaptar as atividades presenciais para virtuais, seguida pelo gerenciamento remoto da equipe e manutenção da infraestrutura tecnológica.

 

Ou seja: não será fácil migrar as operações para o trabalho remoto, adaptar a infraestrutura e ainda dar conta de manter as equipes engajadas em meio à pandemia global. 

 

Desafios do engajamento à distância durante a crise

 

O engajamento à distância sempre foi uma tarefa desafiadora para a liderança, mas se tornou ainda mais crítica nesse momento de incertezas. 

 

Confira os principais desafios da realidade atual. 

 

Falta de contato face a face

 

Por mais que as equipes já utilizem ferramentas digitais para se comunicar no dia a dia, as conversas presenciais são indispensáveis — principalmente entre líderes e colaboradores. 

 

Para os gestores, o desafio é manter o feedback constante e usar sua inteligência emocional para motivar os colaboradores à distância, evitando que os profissionais se sintam desamparados e percam a confiança no apoio do líder. 

 

Dificuldade em controlar a produtividade

 

Apesar das pesquisas apontarem que o home office pode aumentar a produtividade — como no estudo de Stanford de 2018 que concluiu que os profissionais remotos têm expedientes mais longos e são mais focados —, não é fácil controlar o desempenho dos colaboradores à distância. 

 

Para funções que já se baseiam em entregas digitais e resultados mensuráveis, fica mais fácil, mas os líderes não tiveram tempo de organizar essas métricas para todos os cargos na situação atual. 

 

Problemas de comunicação

 

Para a Chief Data Officer da Gallup, Sofia Kluch, um dos maiores desafios do engajamento à distância são os problemas de comunicação. 

 

Ainda que o gestor seja um grande comunicador, um e-mail mal interpretado ou uma mensagem de voz com um tom mais rígido podem afetar a moral dos colaboradores, exigindo o dobro de atenção e cuidado nas mensagens. 

 

Dificuldade de monitorar a saúde mental

 

Em circunstâncias normais, já é difícil monitorar a saúde mental e motivação dos colaboradores remotos — e esse desafio fica ainda maior em meio à pandemia. 

 

Por isso, é mais importante do que nunca encontrar formas de estreitar a comunicação com os colaboradores e acompanhar seus níveis de estresse e ansiedade durante a crise.

 

5 estratégias para melhorar seu engajamento à distância 

 

As soluções de engajamento à distância não será úteis apenas para a situação de crise atual, mas também para seu gerenciamento de equipes remotas no futuro. 

 

Siga estas dicas para manter os colaboradores motivados.

 

1. Aumente a frequência das reuniões 

 

Uma das medidas mais importantes para melhorar o engajamento à distância é aumentar a frequência das reuniões, que devem ser realizadas preferencialmente por chamada de vídeo — o formato mais próximo de uma interação presencial. 

 

Segundo a pesquisa da Gartner, 40% das empresas aumentaram as reuniões de check-up (one-to-ones) entre líderes e colaboradores, enquanto 32% adotaram novas ferramentas para reuniões online. 

 

2. Mantenha as equipes informadas sobre a crise

 

Outro dado importante da pesquisa da Gartner é que 56% dos líderes apresentaram um plano de ação para lidar com a Covid-19, deixando claro como a empresa pretende agir para contornar a situação. 

 

Esse passo é fundamental para transmitir confiança e segurança aos colaboradores, além de reforçar o compromisso da empresa com a saúde de seus funcionários e sustentabilidade do negócio. 

 

Além do plano de contingência, é importante atualizar a equipe constantemente e manter um diálogo aberto sobre as condições do negócio durante a crise. 

 

3. Personalize a gestão

 

Esse é o momento dos líderes terem empatia e reconhecerem que a situação de cada colaborador é única.

 

Para começar, cada profissional têm suas dificuldades e distrações em casa, considerando que as escolas estão fechadas e as famílias ainda tentam se adaptar ao isolamento repentino. 

 

Cabe ao líder identificar as necessidades de sua equipe e flexibilizar o trabalho para manter o engajamento à distância.

 

Você pode, por exemplo, definir horários de trabalho adaptados à realidade de cada um e facilitar as entregas, levando em consideração a jornada dupla que muitos estão cumprindo em suas casas para apoiar a família e cuidar dos filhos.  

 

4. Defina novas metas e acompanhe o progresso

 

Diante do cenário de paralisação econômica, será preciso rever as metas individuais e coletivas na empresa. 

 

O importante é deixar claras as novas metas e acompanhar o progresso dos colaboradores da mesma forma que no escritório, pois as avaliações e feedbacks são combustíveis essenciais do engajamento à distância. 

 

5. Diversifique as ferramentas de comunicação

 

A tecnologia também é essencial para o engajamento à distância, e não basta utilizar as mesmas ferramentas de sempre.

 

A dica é ir além do e-mail e aplicativos de mensagens, adotando ferramentas colaborativas, com interação por vídeo e em formatos de redes sociais como Slack, Zoom, Basecamp e Loom.

 

Percebeu como é possível manter o engajamento à distância mesmo em situações críticas? 

 

Aqui na Comece com o Pé direito, por exemplo, nossa equipe de profissionais contábeis segue motivada e pronta para auxiliar clientes com serviços de consultoria e assessoria 100% online. 

 

Se precisar de ajuda para enfrentar a crise, é só clicar aqui e aguardar nosso contato.