Fintech white label: como ter sucesso nesse tipo de negócio?

fintech white label0
Blog > Financeiro > Fintech white label: como ter sucesso nesse tipo de negócio?

Você sabia que com a fintech white label é possível abrir uma startup financeira sem precisar criar toda tecnologia do zero?

Com a transformação do mercado de serviços financeiros, antes concentrados em grandes players, essa é uma das diversas novas oportunidades de negócio.

Um empreendedor interessado em criar sua própria startup financeira pode simplesmente contratar o aparato tecnológico pré-pronto de uma fintech white label e colocar sua marca.

Quer saber mais sobre como funciona esse modelo de negócio?

Então, não deixe de ler este artigo até o final.

O que é fintech white label?

Uma fintech white label é uma empresa que cria plataformas de serviços financeiros para atender às demandas de outras fintechs, como bancos digitais, empresas de pagamento, de crédito, etc.

Trata-se de um tipo de negócio B2B (Business-to-Business) no qual o cliente da empresa é outra empresa.

A estratégia white label (etiqueta branca, em português) funciona para diferentes modelos de negócios, desde empresas que vendem produtos físicos a soluções digitais.

Pode ser comparada a um tipo de terceirização da produção.

Uma empresa fabrica o produto (uma mercadoria de supermercado ou um software) e a outra coloca sua marca e vende. 

Dependendo do caso, o mesmo produto “etiqueta branca” pode ser revendido por várias empresas, cada uma com sua marca diferente.

No universo das startups financeiras a estratégia é a mesma.

Uma fintech white label cria uma plataforma completa e customizável, oferece essa solução às fintechs (B2B), que por sua vez oferecem seus serviços ao consumidor final (B2C).

Como funciona uma fintech white label

Uma fintech white label funciona como uma empresa SaaS (Software as a Service, ou Software como Serviço). 

Seu trabalho é desenvolver uma plataforma completa de serviços financeiros que atenda às necessidades e expectativas de seus clientes (outras fintechs). 

O sistema precisa ser robusto, funcional e personalizável, de forma a garantir a escalabilidade do negócio

O empreendedor que decidir por esse modelo de negócio precisa ter em mente que será necessário investimento considerável no desenvolvimento de softwares avançados

Precisará, para tanto, de profissionais com expertise em programação para que a solução tecnológica seja capaz de sustentar um crescimento acentuado de demanda. 

Além dos desafios técnicos, a fintech white label também deve cuidar dos aspectos burocráticos e regulatórios que envolvem o mercado financeiro. 

As regras variam dependendo do segmento. 

Os desafios regulatórios para se criar um banco digital, por exemplo, são bem maiores do que para uma empresa de pagamentos.

A fintech que contrata uma plataforma white label, por outro lado, acessa não apenas a tecnologia pré-pronta para uso, mas um serviço “desbloqueado” das amarras burocráticas.

Vantagens do modelo white label em fintechs

Se você está pensando em abrir uma startup financeira, mas não pretende construir uma tecnologia do zero, a fintech white label pode ser uma boa alternativa.

Dentre as principais vantagens, destacam-se:

1. Redução de custos e despesas

Uma das principais vantagens é a dispensa de profissionais com conhecimento avançado em programação. 

Ao contratar uma plataforma pronta para inserir a marca de sua fintech, você se livra do custo de desenvolver o produto. 

Em vez disso, paga para usar o software de um terceiro, uma alternativa geralmente mais viável do ponto de vista econômico e financeiro.

2. Redução do risco operacional

Ao contratar uma fintech white label, o empreendedor não precisa se preocupar também em resolver eventuais problemas técnicos

O fornecedor do sistema é o responsável pela manutenção e inovações incrementais da plataforma durante todo o período do contrato, desde o momento da implantação.

Qualquer falha técnica que comprometa o desempenho da prestação de serviços deve ser solucionada pela fintech white label.

3. Conformidade regulatória

Outra vantagem é a tranquilidade quanto às normas regulatórias. 

Se abrir um fast food no Brasil já é um teste de paciência, imagine uma fintech que depende do aval de órgãos federais. 

Há regras rigorosas impostas a empresas desse setor por algumas instituições, como o Banco Central

Contratar um serviço em conformidade com as normas legais e pronto para entrar em operação, sem dúvida, é uma importante vantagem.  

4. Foco no core business

Com as questões técnicas e regulatórias resolvidas, o empreendedor pode focar no que realmente importa: seu core business. 

Afinal, ter uma plataforma eficiente não basta para alcançar o sucesso da startup financeira. 

É preciso elaborar um plano com metas e prazos, validar o modelo de negócio e buscar recursos nas rodadas de investimento.

Desafios e soluções para o sucesso de fintechs

O número de fintechs tem crescido substancialmente no Brasil e no mundo, graças a um mercado negligenciado pelos grandes players

De acordo com um levantamento do Instituto Locomotiva de 2021, o Brasil tem aproximadamente 34 milhões de desbancarizados

Para ocupar essa lacuna, os investimentos em fintechs têm crescido consistentemente desde os anos 2010, com ênfase a partir de 2018.

Apenas nos primeiros quatro meses de 2021, as startups financeiras brasileiras captaram US$ 4 bilhões, conforme pesquisa do Distrito Fintech Report.

Desafios

Apesar do otimismo, abrir uma fintech tem muitos desafios, mesmo com a praticidade oferecida pelas fintechs white label.

Você vai precisar: 

Oportunidades e soluções

Apesar dos desafios, também há muitas oportunidades nesse mercado, dentre as quais destacam-se:

  • Open Banking: com o novo modelo de sistema bancário, os dados e serviços passam a ser compartilhados entre todas as instituições financeiras, o que favorece as fintechs
  • Escalabilidade: graças à tecnologia e à experiência digital, as fintechs conseguem captar clientes em todo o país sem precisar de filiais
  • Organização financeira: a organização das contas é fundamental para qualquer tipo de negócio, especialmente para as fintechs. Dependendo do segmento, pode ser necessário adotar o Lucro Real como regime tributário.

Como você pôde ver, o ambiente de serviços financeiros tem seus desafios, mas também é repleto de oportunidades. 

Se decidir seguir por esse caminho, conte com a expertise da Comece Com o Pé Direito para organizar sua contabilidade.

Somos especialistas em startups e oferecemos soluções em contabilidade consultiva, BPO financeiro, Business Intelligence, dentre outras.

Fale conosco e tenha a solução contábil necessária para a sua startup decolar.

Leave a Reply