Gestão de dados para startups: qualidade e segurança da informação em 5 passos

A gestão de dados para startups é o caminho para explorar o potencial da informação e fazer jus ao título de “empresa digital”. 

 

O poder dos dados você já conhece, mas será que as informações da sua empresa são seguras, confiáveis e acessíveis o suficiente? 

 

Mais do que análises avançadas e recursos de inteligência artificial, os negócios precisam de dados organizados, integrados e protegidos, que possam ser facilmente transformados em insights para a tomada de decisão. 

 

Nos próximos tópicos, você vai entender como funciona a gestão de dados para startups e por que ela faz diferença na sua empresa. 

 

O que significa gestão de dados para startups?

 

A gestão de dados para startups envolve os processos de coleta, armazenamento, classificação, controle e tratamento de dados, com o objetivo de garantir sua qualidade e segurança durante todo o ciclo de vida da informação. 

 

Hoje, os dados são os ativos mais valiosos das empresas, pois são a matéria-prima das estratégias de negócios na era digital. 

 

A partir desses insumos digitais, as organizações compilam informações úteis e constroem conhecimento para tomar melhores decisões — daí a importância de garantir dados de qualidade, acessíveis e integrados. 

 

Além disso, a gestão de dados deixou de ser uma preocupação exclusiva do TI e chegou a todas as áreas da empresa.

 

Basta pensar na imensa quantidade de dados gerados diariamente em um negócio: cadastros de clientes, estatísticas de mercado, relatórios de vendas, resultados de KPIs, projeções financeiras, entre outras fontes.

 

Na prática, a gestão de dados é baseada em dez funções principais, de acordo com o guia DAMA-DMBOK® (framework de referência do mercado): 

 

  • Governança de dados

  • Gestão da arquitetura de dados

  • Gestão do desenvolvimento de dados

  • Gestão de operações de dados

  • Gestão da segurança dos dados

  • Gestão de dados mestres e dados de referência

  • Gestão de data warehousing e Business Intelligence

  • Gestão da documentação e conteúdo

  • Gestão de metadados

  • Gestão da qualidade dos dados.

 

Por meio dessas funções, as empresas conseguem zelar pelos seus dados e transformá-los em conhecimento estratégico, além de promover uma cultura data-driven e estabelecer políticas de controle de acesso. 

 

Para as startups, é ainda mais importante contar com dados de qualidade para atingir suas metas de crescimento rápido, escalar negócios e acelerar o desenvolvimento de soluções, como veremos adiante.  

 

Qual o papel da gestão de dados para startups?

 

A diferença entre a gestão de dados para startups e para empresas tradicionais é o peso que essa área tem nas estratégias de crescimento do negócio. 

 

Embora a gestão data-driven já seja realidade em muitas organizações, as startups são reconhecidas pela vanguarda tecnológica e recursos avançados de Big Data, inteligência artificial e machine learning. 

 

É por meio dessas ferramentas de inteligência de dados que as empresas criativas conseguem fazer projeções visionárias, identificar rapidamente as mudanças nos hábitos dos clientes e otimizar seus processos com máxima agilidade, por exemplo. 

 

Mas, não adianta implementar o estado-da-arte em tecnologias de análise de dados se a gestão não estiver em dia para garantir a proteção e confiabilidade das informações.

 

De acordo com o relatório 2019 AI Predictions, publicado pela Forrester, 61% das empresas afirmam que a qualidade dos dados é o maior obstáculo para implementar seus projetos de inteligência artificial.

 

Ou seja: só faz sentido usar os dados para fazer análises preditivas e obter insights se esses arquivos estiverem devidamente organizados, integrados, padronizados e atualizados. 

 

É aí que entra a gestão de dados para startups, que garante uma base informacional sólida para extrair informações precisas e acelerar o crescimento do negócio. 

 

5 passos para implementar sua gestão de dados para startups

 

Antes de utilizar as tecnologias de análise de dados, você precisa garantir uma boa gestão dos arquivos na sua startup. 

 

Confira alguns passos essenciais para implementar os processos. 

 

1. Comece pela arquitetura de dados

 

O ponto de partida da gestão de dados para startups é a arquitetura de dados, que define como as informações serão coletadas, estruturadas e analisadas. 

 

Logo, é fundamental estabelecer princípios, normas e padrões para gerenciar os dados da empresa, por meio de etapas como definição de regras de compartilhamento, interfaces adequadas para uso dos dados e políticas de acesso. 

 

2. Faça a modelagem 

 

Depois de estruturar os dados, é preciso realizar os processos de modelagem, que permitem criar interações lógicas entre os dados e definir fluxos de trabalho.

 

Por exemplo, você pode ter informações sobre visitas de clientes a uma loja, mas precisa que esses dados sejam combinados aos horários e tempo de permanência — com a modelagem, é possível determinar padrões e relações entre as informações nos bancos de dados. 

 

3. Invista na segurança 

 

A segurança da informação é uma das prioridades na gestão de dados para startups, pois qualquer vazamento ou incidente cibernético pode comprometer a reputação e gerar danos irreversíveis à empresa.

 

Por isso, é fundamental implementar políticas de controle de acesso e proteção da privacidade, como as diretrizes indicadas pela nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). 

 

4. Priorize a qualidade

 

Como vimos, a qualidade é o ponto crítico da gestão de dados para startups, e deve ser priorizada nas políticas de governança da empresa.

 

Algumas técnicas utilizadas para isso são a identificação de perfil de dados, varreduras realizadas por meio de scanners em busca de inconsistências e processos de limpeza e correção.

 

5. Explore o potencial dos dados

 

Com a gestão de dados para startups em dia, você tem inúmeras possibilidades para explorar o potencial dessas informações. 

 

Desenvolver soluções sob medida com base nos dados de clientes, superar a concorrência com análises de mercado e alcançar vantagem competitiva com um marketing mais inteligente são alguns caminhos que os dados abrem para a startup.

 

Mas isso é assunto para um próximo post.

 

Por enquanto, faça a lição de casa da gestão de dados para startups e cuide bem do seu patrimônio informacional.