Inovação incremental: conceito, exemplos e como colocar em prática

inovação incremental0
Blog > Gestão > Inovação incremental: conceito, exemplos e como colocar em prática

Não é difícil entender o que é inovação incremental quando olhamos para as vitrines das lojas de aparelhos eletrônicos.

Você compra um smartphone de última geração e na semana seguinte aparece uma versão ainda mais moderna e avançada.

Também chamada de inovação marginal ou de sustentação, a inovação incremental tem como propósito atualizar um serviço, processo ou produto. 

O objetivo é atender às exigências e expectativas do cliente e garantir a eficiência e a competitividade da empresa frente à concorrência.

Quer saber como colocar em prática a inovação incremental em sua startup?

Ao longo deste texto, confira alguns exemplos e entenda mais sobre o assunto.

O que é inovação incremental?

Inovação incremental é o aprimoramento de produtos e serviços (ou processos de produção) com o objetivo de garantir a sustentabilidade da empresa no mercado.

Sem a inovação incremental, um produto pode ficar obsoleto e ser substituído por outro com funcionalidades mais avançadas. 

Não por acaso, empresas de diversos segmentos, principalmente da indústria de tecnologia de consumo, investem recursos substanciais em pesquisa e desenvolvimento. 

O conceito de inovação incremental foi criado pelo economista austríaco Joseph Schumpeter, em 1939.

No livro Business Cycles, o autor explica o que é inovação incremental, quando deve ser aplicada e suas principais diferenças para a inovação radical.

Diferença entre inovação incremental e radical

A inovação incremental, como vimos, consiste no aprimoramento de algo que já existe. 

Pode ser o upgrade de um produto, a melhoria da prestação de um serviço ou o aperfeiçoamento de um processo de produção. 

A ideia é fazer melhorias pontuais, mesmo que simples, de modo a causar impactos positivos no resultado da empresa e na manutenção do market share

A inovação radical é o oposto da inovação incremental.

Em vez de simplesmente aperfeiçoar um produto, serviço ou processo, a inovação radical cria um produto ou serviço totalmente novo para um mercado.

Ocorre quando o empreendedor descobre um nicho totalmente negligenciado por outras empresas ou uma oportunidade que ninguém ainda percebeu. 

Esse ambiente inexplorado é chamado de “oceano azul”, um contraponto à metáfora do “mar vermelho” saturado e disputado por grandes players.

A inovação radical é comum ao ecossistema startup, em que negócios de base tecnológica buscam oportunidades em lugares “inabitados”.

O custo de implementar uma inovação radical é consideravelmente maior, bem como o prazo de duração. 

É preciso considerar, ainda, os fatores de risco

Afinal, criar novos mercados tem ingredientes a mais de incerteza. 

Quais as características da inovação incremental?

A inovação incremental geralmente é sutil, menos custosa e complexa, podendo ocorrer várias vezes ao longo da vida útil de um produto/serviço.

A seguir, confira algumas características:

  • Baixo custo e baixo risco: como a inovação incremental é uma melhoria de algo que já existe, o investimento geralmente é baixo, bem como o risco de algo dar errado
  • Períodos curtos: dependendo do tipo de aprimoramento, a inovação incremental pode ser implementada de seis meses a dois anos
  • Caminho linear: a trajetória da inovação marginal segue passos determinados, do conceito à comercialização
  • Ganho de eficiência: quando aplicada aos processos de produção, a inovação incremental consegue produzir mais com menos recursos, o que impacta positivamente os indicadores de resultado
  • Cultura da inovação: ao envolver as equipes e ouvir os stakeholders, a empresa cria uma cultura da inovação, aumentando as chances de se manter sustentável no futuro.

A inovação incremental é, antes de tudo, uma necessidade de sobrevivência

Sem ela, uma empresa bem sucedida hoje pode se tornar apenas uma lembrança amanhã.

Exemplos de inovações incrementais

Empresas dos mais diferentes portes e segmentos usam a inovação incremental em seus produtos, serviços e processos. 

A seguir, confira alguns cases conhecidos:

Coca-Cola

A bebida mais conhecida do mundo, criada acidentalmente em 1886, é um exemplo de inovação incremental. 

Presente em todos os continentes, a Coca-Cola é a maior produtora de bebidas não alcoólicas do Brasil, com 26 marcas e mais de 200 produtos.

Alguns exemplos de inovação da marca são os novos sabores lançados no mercado, como Coca-Cola à base de limão, de cereja e a Coca-Cola Life.

Mercado Livre

A empresa de marketplace Mercado Livre também é um bom case de inovação incremental. 

Desde sua fundação, em 1999, a companhia argentina aprimorou sua plataforma reiteradas vezes, com o objetivo de oferecer mais segurança às transações.

Além de criptografia de dados e atualizações de layout, o Mercado Livre também inovou ao oferecer uma solução que garante o recebimento do produto pelo comprador. 

Investiu, ainda, em logística própria, garantindo mais eficiência nas entregas. 

Atualmente, a empresa está presente em 19 países.

Magazine Luiza

A varejista Magazine Luiza, antes apenas uma rede de lojas físicas, é um exemplo de como a inovação pode gerar valor (sobretudo para os acionistas).

Uma das empresas que mais se valorizaram na bolsa nos últimos anos, a Magalu criou uma estratégia robusta de e-commerce e investiu em também em marketplace.

Nos últimos anos, a rede vem adquirindo diversas startups, desde fintechs a apps de delivery de comida.

Como fazer a inovação incremental em startups

A seguir, confira algumas dicas de como implementar a inovação incremental em sua startup.

1. Faça uma avaliação ampla e sincera

O primeiro passo é fazer um diagnóstico do negócio, tanto do ponto de vista do produto quanto do processo.

A ideia é descobrir falhas e ineficiências que podem prejudicar a produtividade e o desempenho do negócio. 

É o momento de reunir as equipes para ouvir ideias, analisar relatórios de dados sobre o comportamento dos clientes e debater sugestões.

2. Considere adotar o crowdsourcing

Identificada a necessidade de inovação incremental, uma boa estratégia pode ser a adoção do crowdsourcing (terceirização para multidão, em tradução livre). 

Até grandes empresas que possuem departamentos inteiros dedicados à pesquisa e desenvolvimento (P&D) usam o crowdsourcing para se aproveitar da sabedoria coletiva”.

Por meio de plataformas online, você pode receber sugestões de melhorias de onde menos espera e crescer com isso. 

3. Estabeleça parcerias estratégicas

Se sua startup atua em mercados essencialmente inovadores, você precisa firmar parcerias estratégicas para criar soluções e aperfeiçoar seus produtos e serviços.

Startups são negócios em desenvolvimento que nem sempre contam com pessoal suficiente para cuidar de demandas rotineiras. 

Em relação à organização financeira, a boa notícia é que esse problema tem uma solução simples e prática: os serviços contábeis da Comece com o Pé Direito. 

Assumimos toda a sua demanda operacional por meio de BPO Financeiro e de RH para você focar na escalabilidade do seu negócio.

Agende um bate-papo com um de nossos especialistas e saiba como podemos ajudar a sua startup a decolar.

Leave a Reply