Investidor anjo: como fazer o seu negócio voar

Ah, os desejos de ser empreendedor! O sonho de abrir a própria empresa, ser bem sucedido, crescer exponencialmente e quem sabe até aparecer na Forbes. Trilhar o caminho dourado em direção ao castelo de esmeraldas e sentar-se no trono para comandar o seu império.

 

Ok, agora já pode acordar. 

 

A realidade é um travesseiro de penas te acertando no rosto, mas, veja bem, quando você se adapta a ela - e aprende - é possível descansar a cabeça sobre esse mesmo travesseiro e dormir em paz.

 

Para crescer, empresas startups e scale-ups partem em busca dos mais diversos tipos de investimento. Utilizar o próprio dinheiro para dar os primeiros passos na hora de abrir o próprio negócio, buscar fundos de venture capital - que são quantias elevadas de dinheiro focadas em negócios mais maduros - ou ir ao encontro de um Investidor Anjo.

 

O Investidor Anjo entra no negócio logo depois da fase inicial de abertura de uma startup, com o objetivo de alavancar a empresa, e é dele que iremos falar hoje. O termo surgiu lá na década de 20, diretamente dos teatros da Broadway, em Nova York. Isso porque os empresários que bancavam os custos caríssimos das produções teatrais e participavam do retorno financeiro eram chamados de “anjos”.

 

Atualmente, os Investidores Anjos são conhecidos não apenas por auxiliar financeiramente uma startup, mas também por serem terapeutas e professores dessas empresas recém nascidas, trazendo experiência - atualizando sobre as mudanças da Reforma da Previdência - conhecimento - implementação do eSocial, como escolher o melhor regime tributário - e rede de contatos para favorecer os negócios. 

 

Curiosidade: esse tipo de assistência é conhecido também como smart money *dinheiro que vem acompanhado de conhecimento*. 

 

O que é um Investidor Anjo

 

Trouxemos a experiência do nosso CEO, Ângelo Mori Machado para responder para você. O Investidor Anjo é uma pessoa física - normalmente (ex) empresário ou empreendedor - com vasto conhecimento no mercado econômico ou pessoa jurídica - fundo de investimento - que utiliza seu próprio capital para aplicar em empresas com grande potencial de crescimento. 

 

“O vínculo entre o investidor e a empresa ocorre quando a startup deixa de ser uma ideia e consolida sua definição se transformando em um protótipo. É nesse momento que o investidor entra em cena tentando viabilizar o negócio”, destaca Ângelo. 

 

Na prática o investidor nem sempre é alguém com grande recurso financeiro, ele também não visa rendimentos em curto e médio prazo, mas sim que o negócio dê certo, já que aumentando os rendimentos da empresa consequentemente ele receberá sua fatia maior em seu retorno. Investidores anjo aplicam o próprio patrimônio – entre 5 e 10% dele – em empresas de alto potencial. 

 

 

Como funciona o investimento do anjo

 

Tudo funciona através de um contrato de participações cujo objetivo é um investimento produtivo. Porém, o dinheiro aportado pelo investidor, de forma alguma poderá ser considerado como capital social da empresa. Sendo assim, não há possibilidade de ser conceituado como sócio, bem como manter a gestão e decisão na empresa. 

 

 

Outro ponto que deve ganhar destaque é o tempo mínimo do resgate do dinheiro. Ele só poderá ocorrer após dois anos, tendo esse período como carência para a empresa. O máximo de permanência do investidor é de até sete anos. O Investidor Anjo poderá receber da distribuição de valores o limite de, no máximo, 50% do lucro.

 

“É bom salientar que dívidas geradas pela sociedade, ou recuperação judicial, são fatos jurídicos subjetivos dentro desse ecossistema. Embora tenha ocorrido uma alteração na lei complementar 123/06, que foi substancialmente ajustada pela lei complementar 155/16, trazendo essa um pequeno afastamento da responsabilidade em relação aos riscos da atividade, não há legislação específica regulamentando o seu papel dentro da empresa recebedora do aporte” enfatiza, Ângelo.

 

 

Quer ver algumas dicas rápidas de como o Investidor Anjo funciona? Então assista o vídeo que preparamos para você!

 

 

Como receber aporte de um Investidor Anjo

 

Existem algumas características que atraem muitos investidores as startups com grande potencial como escalabilidade, mercado amplo com o oceano azul, inovação e não menos importante empreendedores muito bem engajado. Há ainda algumas outras dicas para receber aporte de um Investidor Anjo que são:

 

Conheça o seu propósito

 

Não pense apenas em ganhar dinheiro. Volte lá no começo dos seus sonhos, descubra qual é a sua paixão e se você está disposto a arriscar - e dedicar - grande parte da sua vida nesse negócio. Tendo confiança no que faz será muito mais fácil conquistar um Investidor Anjo e convencê-lo a entrar nesse sonho com você. 

 

 

Apresente mais do que apenas uma ideia

 

O Investidor Anjo já é experiente e vai avalia o risco do investimento e o retorno que ele dará. Mais do que apresentar inovação, deixe três coisas muito claras: problema - solução - modelo de negócio. Qual problema o seu negócio soluciona? Como seu produto o resolve? Como você vai monetizar seu modelo de negócios? Quanto melhor você amadurecer o seu projeto, mais fácil ele será aceito.

 

 

Tenha uma boa equipe

 

Para chegar ao sucesso é necessário ter uma equipe disposta e engajada junto com você. Invista no seu departamento pessoal, faça a terceirização de alguns departamentos que você não tem tanto domínio. Esse não é um fator decisivo apenas para conquistar um Investidor Anjo, mas também para fazer o seu negócio deslanchar.

 

 

Pesquise sobre o anjo

 

Assim como ele vai conhecer o seu negócio, você deve conhecer ele. Saiba quais são os interesses do seu Investidor Anjo, como ele costuma investir e como pode contribuir com o seu negócio. É natural procurar uma pessoa que apoia empresas que estão próximas do seu ramo de atuação e que já tem alguma expertise nisso. 

 

 

Capriche no pitch

 

Sabe aquela apresentação breve para despertar o interesse dos investidores e vender o seu negócio? Capriche nela! Mantenha-se seguro durante o Pitch e seja preciso. Se durante esses poucos minutos você prender a atenção do investidor, o próximo encontro é garantido. 

 

 

Agora que você sabe quais são os elementos imprescindíveis para que uma startup consiga se aproximar de seu Investidor Anjo, já está liberado voltar a sonhar. É muito importante ter em mente que o seu negócio precisa ter uma consultoria contábil, ou até que faça a contabilidade online, de forma muito bem preparada.

 

Dependendo da maturação da contabilidade da startup, se o setor financeiro não estiver alinhado, certamente a sua empresa enfrentará alguns problemas e isso pode assustar o Investidor Anjo, mesmo que o seu protótipo seja excelente ao mercado consumidor.

 

Sabemos que a maior parte de distribuição dos gastos dessas startups são voltadas aos programadores, pois desenvolver um software o qual estará ligado a atividade econômica da empresa requer despesas com profissionais qualificados, então, o Investidor Anjo é uma das melhores opções. É ele que vai assumir com você os riscos e colher os resultados - positivos ou negativos. 

 

Ter uma empresa com a sua estrutura organizacional muito qualificada, sendo fidedigna as informações contábeis e demonstrativos financeiros, atrai mais facilmente um Investidor Anjo qualificado e aumenta, de forma significativa, a chance do seu negócio decolar em direção ao sucesso.