Pitch deck: o que é e exemplos para inspirar sua startup

pitch deck0
Blog > Empreendedorismo > Pitch deck: o que é e exemplos para inspirar sua startup

Um pitch deck simples, objetivo e agradável é o mínimo que um investidor espera de uma startup em uma rodada de investimentos. 

Se você está em busca de recursos para escalar seu negócio, saiba que esse é um ponto-chave dentro da estratégia de marketing. 

Quer saber como fazer um pitch deck irresistível e conquistar recursos para alavancar sua startup? É só continuar a leitura para se inspirar.

Pitch deck: o que é?

Um pitch deck é uma apresentação rápida, objetiva e direta de um projeto, que pode ser uma startup, um produto ou serviço. 

No universo dos negócios inovadores, trata-se de uma ferramenta muito usada em reuniões com clientes, fornecedores, funcionários e investidores.

Quando o objetivo é captar recursos, seja de investidores-anjo ou fundos venture capital, o pitch deck não deve ter mais do que 20 slides. 

As informações essenciais devem ser bem distribuídas, com o mínimo de texto possível e uso abundante de recursos visuais, como infográficos. 

A ideia é transmitir, de maneira clara e sem perda de tempo, a proposta da startup e prender a atenção do interlocutor logo no início da apresentação. 

Para que serve um pitch deck

O pitch deck tem como função despertar o interesse do investidor, cliente ou parceiro (dependendo do objetivo), estimulando-o a saber mais sobre a startup. 

Numa rodada de investimento, a apresentação serve para explicar como o empreendedor descobriu a oportunidade de negócio (dor do cliente), qual a solução apresentada, qual o modelo de negócio, bem como a necessidade de investimento. 

Por se tratar de uma apresentação rápida, que geralmente marca o primeiro contato entre empreendedor e investidor, não há tempo para se aprofundar em detalhes. 

É recomendável que você elabore diferentes pitchs para cada tipo de público, sempre primando pela objetividade. 

Quanto mais claro e for o pitch deck, melhor. 

Capriche no design, mas cuidado para não enfeitar demais, afinal, uma apresentação para investidores precisa ser, sobretudo, verdadeira.

Exemplos de pitch deck de sucesso

Referenciar-se em exemplos de pitch deck de sucesso pode ajudar a ter algumas ideias para montar o seu e conquistar a atenção dos investidores

A seguir, confira dois cases de startups que se transformaram em gigantes da tecnologia. 

Uber

Empresa multinacional de transporte urbano por aplicativo, a Uber começou sua trajetória de sucesso em 2009 apostando na ineficiência dos táxis

Ao apresentar a solução (pedir um transporte em poucos cliques), a empresa chamou a atenção de investidores para um negócio que poderia ganhar escala mundial. 

Garrett Camp, co-fundador da Uber, compartilhou o primeiro pitch deck de lançamento da empresa por meio da Medium post.

Airbnb

Outro pitch deck que vale a pena conferir é o da Airbnb, empresa que opera o mercado online de hospedagens, principalmente em casas de família. 

Trata-se de uma apresentação curta, direta ao ponto, que traduz perfeitamente o propósito do negócio. 

O pitch apresenta o market share da empresa, valor médio das hospedagens e modelo de comissionamento adotado, dentre outras informações.

Qual deve ser a estrutura do pitch deck?

Um pitch deck deve ser estruturado de maneira a atrair a atenção do investidor logo no início. 

Portanto, prefira textos curtos acompanhados de imagens e infográficos que facilitem a compreensão da ideia central da startup. 

A estrutura de um bom pitch deck deve contemplar os seguintes elementos:

  • Problema a ser resolvido: a oportunidade de negócio que sua startup pretende explorar
  • Solução para o problema detectado: o produto ou serviço
  • Informações sobre o mercado: slides curtos sobre um panorama geral
  • Modelo de negócio: como a startup pretende criar e entregar valor
  • Concorrência: com quem você disputa o mercado
  • Diferenciais competitivos: por que o cliente deve escolher o seu negócio?
  • Equipe: nomes e um breve currículo das pessoas por trás do negócio
  • Depoimentos de clientes: se tiver, sempre é bom ter a prova social
  • Repercussão na mídia: outro ponto que sempre ajuda, se tiver 
  • Necessidade de investimento: quanto você precisa para tirar a ideia do papel.

Com essas informações, o investidor terá elementos suficientes para decidir se avança ou não nas negociações

Lembre-se de que o pitch deck é apenas o começo.

A intenção é chamar a atenção do investidor. 

Se você conseguir isso, terá tempo para uma conversa mais aprofundada sobre a estratégia do negócio.

Como fazer um pitch deck para atrair investidores

Menos sempre é mais quando nos referimos à criação de um pitch deck para investidores. 

Se você precisa captar recursos para alcançar a escalabilidade, confira as dicas a seguir para se inspirar:

Conheça o investidor

Antes de começar a criação do pitch deck, busque o máximo de informações que puder sobre o investidor.

Se for alguém com conhecimento sobre o setor no qual sua startup pretende atuar, você pode abordar questões mais técnicas e específicas. 

Caso não seja, terá de ser mais introdutório na apresentação.

Crie uma apresentação agradável e objetiva

No tópico anterior, você conferiu um roteiro de como criar os slides da apresentação. 

Siga as etapas e capriche no layout, buscando sempre uma harmonia entre fontes e imagens

Use o mínimo de texto que puder, sempre ilustrado com elementos gráficos que ajudem a fixar a mensagem.

Conte uma história

O storytelling é uma ótima estratégia para mostrar ao investidor como você se deparou com o problema e descobriu a oportunidade de negócio. 

Um bom momento para contar essa história é logo após o slide de apresentação.

Finalize com a proposta de investimento

O principal objetivo do pitch deck é captar recursos, portanto, após apresentar a ideia do negócio, finalize com a proposta financeira.

Pode ser que você já tenha um MVP validado pelo mercado e precisa de recursos para alcançar os próximos milestones. 

Ou a sua startup já tem faturamento, mas você precisa de investimento para ampliar o negócio.

No slide final, apresente um guidance, mas faça isso dentro de uma realidade de mercado que convença o investidor de que o projeto vale o risco.

Viu como um pitch deck bem feito pode destacar o seu projeto e conquistar a atenção (e o bolso) dos investidores?

Lembre-se de que, para conseguir efetivamente acessar os recursos, sua startup ainda precisa passar pelo due diligence

Para não correr o risco de perder nenhum aporte por falta de organização financeira, conte com a Comece Com o Pé Direito.

Somos uma empresa especializada em contabilidade para startups, com assessoria e consultoria em diferentes áreas.

Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudar o seu negócio a crescer.

Related Posts

Leave a Reply