Seed capital: o que é, qual o destino e como conseguir o investimento?

seed capital0
Blog > Financeiro > Seed capital: o que é, qual o destino e como conseguir o investimento?

Precisando de seed capital para alavancar o crescimento da sua startup?

No rol dos investimentos de risco, essa é uma categoria destinada especialmente a negócios inovadores em fase inicial de crescimento.

Do ponto de vista do empreendedor, captar recursos quando o negócio ainda opera no vermelho é uma missão repleta de desafios.

Com o devido preparo, no entanto, é possível acessar boas fontes e conseguir o capital necessário para investir em crescimento e buscar a escalabilidade.

Siga a leitura e descubra o que é, onde encontrar e como conseguir seed capital para o seu negócio!

O que é seed capital?

Seed capital, ou capital semente, é um tipo de investimento de risco destinado a startups que se encontram na fase de validação.

Trata-se de um recurso usado para sustentar as pesquisas de mercado, construir o MVP e dar início às operações.

Daí o nome de capital semente

Sem o seed capital, um negócio inovador dificilmente consegue nascer, crescer e atingir os milestones capazes de atrair investidores com cheques mais polpudos, como os fundos VC.

Qual a diferença entre seed capital, investimento-anjo e venture capital?

Tanto o seed capital quanto o investimento-anjo e o venture capital são conceitos relacionados ao investimento em startups.

O que difere um do outro é basicamente o estágio em que o negócio se encontra. 

1. Investimento-anjo

O investimento-anjo geralmente é o primeiro da fila, realizado por investidores pessoa física ainda na fase de ideação de uma startup. 

Os aportes são feitos por profissionais com experiência no setor que, além de dinheiro, oferecem mentoria aos founders (fundadores).

2. Seed capital

O seed capital é o segundo estágio do processo de investimento em startups. 

O aporte pode ser feito por aceleradoras, incubadoras ou até fundos de investimento que têm como foco negócios na fase de validação.

O recurso tem como finalidade a construção do MVP, a contração das primeiras equipes e o início das operações.

Na fase de tração (ou crescimento), os investimentos têm outro nome: growth capital, visando diferenciar-se dos demais.

3. Venture capital

O venture capital, ou capital de risco, é um conceito amplo que envolve o investimento em startups como um todo, geralmente protagonizado pelos fundos especializados. 

Cabe ressaltar que cada fundo venture capital tem sua própria política de investimento que leva em conta os principais fatores de risco do negócio.

Em geral, esses fundos aportam em startups da fase de tração em diante – ou seja, são negócios que já atravessaram a parte mais perigosa do “vale da morte”.

Seed capital é destinado a qual tipo de empresa?

O seed capital, como vimos, mira startups em validação, aquelas que ainda estão desenvolvendo seu produto ou serviço e que precisam validá-lo junto ao público alvo.

Exatamente por isso, são negócios com receita insuficiente para cobrir os gastos.

Dependendo da natureza jurídica da startup, o seed capital pode ser disponibilizado na forma de empréstimo, podendo ser transformado em participação societária mais adiante. 

Isso ocorre porque, no estágio de validação, a empresa acabou de ser formalmente registrada e, em geral, ainda é uma sociedade limitada (LTDA). 

Como conseguir investimento seed capital?

Conseguir investimento seed capital é uma tarefa desafiadora, mas com o devido preparo, dedicação e persistência, é possível acessar os recursos. 

A seguir, confira algumas estratégias que podem ajudar nesta missão.

1. Networking

Construir uma rede sólida de contatos na comunidade empreendedora é uma maneira inteligente de encontrar potenciais investidores de seed capital. 

Uma dica é participar de eventos, conferências e grupos de empresários conectados com investidores interessados em financiar startups promissoras.

2. Profissionalização da gestão

Para recorrer ao seed capital, é importante arrumar a casa e profissionalizar a gestão do seu negócio.

No aspecto contábil-financeiro, por exemplo, é fundamental que você tenha um parceiro que o ajude a usar a inteligência de dados de maneira estratégica.

Além de manter o compliance fiscal-tributário, uma startup interessada em captar recursos precisa saber usar indicadores-chave de desempenho e produzir relatórios gerenciais relevantes.

3. Plataformas de crowdfunding

Quanto à captação do seed capital em si, há diversas maneiras de fazer isso, como as plataformas de crowdfunding.

Graças às soluções digitais, você pode apresentar seus projetos a uma ampla audiência e conseguir financiamento coletivo de pessoas interessadas no seu modelo de negócio.

Vale ressaltar que, com as recentes regulamentações no Brasil, as plataformas de crowdfunding têm tudo para se tornar uma importante via de crescimento para as empresas inovadoras.

Algumas delas, como a Captable, oferecem inclusive marketplace para que os investidores comercializem entre si as participações em equity.

4. Incubadoras e aceleradoras

Outra importante fonte de seed capital são as aceleradoras e incubadoras

Além de ter acesso ao capital financeiro, a empresa pode se beneficiar de outras vantagens, como mentoria, orientação e recursos adicionais.

Esses programas também costumam exigir que as startups concedam participação em troca do investimento e suporte oferecido.

Como usar o investimento do seed capital?

O plano de alocação do investimento seed capital tem como objetivo usar os recursos de forma estratégica, visando alcançar os milestones da forma mais eficiente possível.

Você pode usar o investimento para:

  • Desenvolver o produto ou serviço, garantindo que ele atenda às necessidades dos clientes e se destaque no mercado
  • Investir em contratações estratégicas para fortalecer a equipe, trazendo talentos-chave que possam impulsionar o crescimento e a inovação
  • Reforçar as estratégias de marketing e vendas que ajudem a aumentar a conscientização da marca, gerar leads e adquirir clientes
  • Realizar pesquisas de mercado e testes para validar o modelo de negócios e identificar oportunidades de crescimento e melhoria
  • Investir em infraestrutura tecnológica e operacional para garantir que a startup tenha os recursos necessários para sustentar seu crescimento.

Por fim, vale destacar que o investimento em startups é feito em etapas exatamente para mitigar os riscos assumidos pelo investidor.

Se o empreendedor conseguir bons resultados com a primeira rodada, as chances de sucesso no próximo round são altas.

Caso contrário, fim da linha.

Gostou das dicas?

Então aproveite para conhecer as soluções que oferecemos especificamente para startups que precisam se preparar para a captação de recursos.

Além da contabilidade consultiva com inteligência de dados, na Comece você tem todo o suporte necessário para passar com tranquilidade pela due diligence

Clique aqui, fale com um de nossos especialistas e saiba mais!

Deixe uma resposta