Fluxo de caixa, para seu negócio decolar de vez


Não somos o Chapolin, mas podemos te defender. Aqui você encontra tudo o que precisa para aprender a desenvolver um fluxo de caixa e dar estabilidade ao seu negócio.

 

Existem algumas informações obrigatórias que você precisa conhecer se recém começou ou está disposto a começar um negócio. A ideia você já tem, a área de atuação também, já contou para toda a família e até achou aquele lugarzinho super bacana para se instalar e dar o pontapé inicial. Mas calma aí meu jovem, antes de tudo, você já sabe o que é fluxo de caixa?

 

Ah, pois é! Eu, se fosse você, estudaria um pouquinho mais pra poder ir com tudo e se manter nesse mercado que, diga-se de passagem, é cada dia mais competitivo. Desconhecer o fluxo de caixa da empresa resulta na falta de controle financeiro e perder o controle não é bom em nenhuma área, principalmente nas finanças. O fluxo de caixa é o movimento de entradas e saídas de dinheiro, ou seja, o que você recebe e o que paga em seu negócio, em um tempo determinado.

 

Com ele você terá as informações necessárias para tomar decisões, pois terá uma visão super clara e precisa sobre o seu momento financeiro e saberá, por exemplo, se a semana que pareceu maravilhosa no faturamento, na realidade gerou receitas próximas das despesas. Esse instrumento colabora no melhor aproveitamento dos investimentos feitos, isso porque ele entrega um mapa sobre movimentações financeiras na empresa, apontando fontes e fins para onde o dinheiro vai.

 

O fluxo de caixa não visa apenas computar os gastos diários do negócio, mas também os investimentos realizados. Assim que começar, defina um saldo inicial da conta, pois, é através desse número que será possível projetar lucros ou simplesmente realizar um cálculo mensal de créditos e débitos.

 

Para manter um bom controle disso, vai ser necessário ter registros, bem detalhados, de ganhos e gastos da forma mais organizada possível, com todas as receitas. O fluxo é uma das ferramentas mais simples utilizadas na administração financeira e ele irá te auxiliar na tomada de decisões e na melhora do desempenho financeiro através da otimização e alocação dos recursos.

 

Independentemente do tamanho da sua empresa você terá um cenário completo da saúde financeira do seu negócio. Com o fluxo de caixa, a gestão se torna mais profissional e assim vai ser possível reconhecer qualquer erro, que, muitas vezes, pode custar meses de trabalho ou até a vida da empresa.

 

Além disso, é por meio desse fluxo que você atrai possíveis parceiros e investidores. Pensa comigo, você só colocaria seu dinheiro em ações se tivesse acesso aos ganhos e perdas que o empreendimento teve durante um determinado período, certo? Todo mundo pensa assim, ninguém pretende investir em algo às cegas. Então, não importa se você vai abrir o capital da empresa ou quer conseguir um parceiro, ele é um elemento fundamental.

 

Para você entender melhor como o fluxo de caixa funciona, a gente separou para você dois modelos.

Fluxo de caixa projetado

Já destacamos a importância de registrar receitas e despesas para melhor compreensão da realidade financeira de sua empresa, mas a forma como as informações são aproveitadas é um passo igualmente fundamental. Isso quer dizer que a partir dos lançamentos realizados, você pode não apenas conhecer, mas planejar as ações futuras do negócio com base nos resultados. Um dos principais instrumentos analíticos da ferramenta são os gráficos.

Fluxo de caixa livre

Ele mede a capacidade de geração de capital em quaisquer prazos, indicando o saldo existente na comparação com o chamado fluxo de caixa operacional. Na prática, trabalha-se com dois relatórios: o primeiro projeta os resultados pelo período de dois a três meses, enquanto o segundo trabalha com um prazo de dois a cinco anos. Com gráficos em linha, é possível acompanhar como o negócio se comporta.

 

Tá pouco? Pode mais? Então toma. Aqui vão mais algumas dicas para que você possa elaborar um fluxo de caixa eficaz:

  • - Organiza essas ideias e faz um levantamento das tuas despesas, receitas, planos de investimento e expansão e alinha isso com o seu plano de negócios, de preferência organizado por natureza: operacional, não operacional e investimentos.


  • - Defina um horizonte. Como? O ideal é que o fluxo contemple um horizonte, um tempo correspondente ao ciclo operacional da empresa. Geralmente este ciclo compreende o período de um ano, mas atividades de ciclos mais longos exigirão um horizonte maior.


  • - Assim como todos os outros instrumentos de gestão, seu fluxo de caixa deve ser atualizado periodicamente. O horizonte de um ciclo operacional deve ser atualizado mensalmente.


  • - Eu sei que a gente gosta quando tudo dá certo, mas não seja tão otimista. Você deve considerar o fato de que alguns clientes não pagarão na data do vencimento ou não pagarão de forma alguma, fazendo com que você precise aplicar um percentual de perdas sobre as entradas.


  • - Programe-se para as atividades que vão impactar seu fluxo, como atrasos ou perda de cliente, para que você possa ser pró ativo com seus pagamentos. Desta forma, você poderá negociar com alguns fornecedores ou mesmo contratar um empréstimo com taxas de juros mais atrativas. Isso é bem melhor do que ficar com a conta negativa no banco, né?


  • - Com um conhecimento real do fluxo de caixa você pode se planejar e manter a eficiência do seu negócio para que futuramente ele possa crescer de forma saudável.


 

Ah não, e agora? O que eu vou fazer? Quem poderá me defender? Nós não somos o Chapolin Colorado, mas temos a solução para os seus problemas. Com a Comece com o Pé Direito você terá alguém para cuidar das burocracias legais do seu negócio, tirar suas dúvidas, lhe dar assessoramento e de quebra desenrolar essas coisas que pra você ainda são complicadas de se entender.

 

Conheça o nosso serviço Começando do Zero e fique ainda mais perto de realizar os seus sonhos e de abrir a sua empresa sem complicações. Agende uma conversa com um dos nossos especialistas!