Exemplo de plano de negócios para startup em 5 passos

Ter um exemplo de plano de negócios para startup pode ser útil para dar seus primeiros passos como empreendedor criativo.

 

Se você tem uma grande ideia, o que falta é transformá-la em um plano estruturado e seguir algumas etapas para aumentar suas chances de sucesso no mercado.

 

Mas é claro que esse caminho é diferente para as startups, que já começam em um ambiente de incertezas e mirando no crescimento rápido. 

 

Por isso, vale a pena acompanhar nosso exemplo de plano de negócios para startup antes de elaborar o seu.

 

Continue lendo e fique inspirado para abrir sua empresa. 

 

Importância do exemplo de plano de negócios para startup 

 

O exemplo de plano de negócios para startup serve de inspiração para empreendedores criativos que querem transformar suas ideias em negócios de sucesso.

 

Afinal, por melhor que seja a ideia, ela precisa ser lapidada e estruturada em um plano para se tornar uma empresa.

 

Esse roteiro inicial deve conter todas as informações essenciais ao funcionamento do negócio e responder à perguntas-chave: o que será feito, por que, para quem, como,  quando e quanto vai custar. 

 

Além disso, deve detalhar a proposta de valor da empresa, suas parcerias, custos, canais de distribuição, estratégias de marketing, operações, etc.  

 

No caso das startups, o plano de negócios é um pouco diferente daquele feito para empresas tradicionais.

 

Os elementos básicos como definição da solução, escolha do público-alvo e estudo do mercado são os mesmos, mas a forma de colocar isso em prática muda totalmente, como veremos a seguir.

 

Exemplo de plano de negócios para startup x empresa tradicional

 

Ao contrário do plano para abrir uma empresa tradicional, o exemplo de plano de negócios para startup se baseia em um modelo de negócio inovador e experimental. 

 

Para que a empresa seja considerada uma startup, ela precisa propor uma solução inovadora para um problema atual, operar em um ambiente de incertezas e buscar a escalabilidade (crescimento exponencial).

 

Por isso, seu plano de negócio precisa incluir etapas de desenvolvimento de ideias, geração de hipóteses e validação, por exemplo. 

 

Em uma empresa comum, basta utilizar a estrutura de negócio convencional, escolher um produto/serviço já existente e fazer um planejamento linear para abrir as portas e crescer gradualmente. 

 

Já a startup precisa inovar e buscar o crescimento rápido, e, para isso, tem que desenvolver sua solução ao mesmo tempo em que colhe os feedbacks do mercado, em um modelo muito mais dinâmico e iterativo.

 

Vamos entender melhor o que isso significa no próximo tópico.

 

Exemplo de plano de negócios para startup em 5 passos

 

Para dar nosso exemplo de plano de negócios para startup, vamos imaginar um empreendedor que teve a ideia de criar um app para facilitar a compra de roupas online.

 

Veja como ficaria o plano dessa startup hipotética.

 

1. Desenvolvimento da ideia

 

O primeiro passo para fazer um plano de negócios para uma startup é desenvolver a ideia inicial e pensar na sua viabilidade.

 

Basicamente, toda startup deve partir de um problema atual ou brecha do mercado e criar uma solução inovadora para atender essa demanda.

 

No caso, o problema central é a dificuldade que os consumidores têm para comprar roupas que servem corretamente online, mesmo com as tabelas de medidas e recursos atuais oferecidos — o que acaba gerando inconvenientes como trocas e devoluções. 

 

2. Geração de hipóteses

 

Depois de reconhecer o problema, será preciso criar hipóteses de como ele poderia ser solucionado.

 

Para isso, você terá que estudar a fundo o mercado e entender o público-alvo para encontrar os caminhos mais promissores.

 

Por exemplo, é possível que um aplicativo com recursos avançados para criação de um avatar e uma espécie de “provador virtual 3D” resolvesse a dificuldade de provar roupas à distância para um público jovem e heavy user de redes sociais.  

 

Dessa forma, você poderia lucrar vendendo esse aplicativo para varejistas de moda online e integrando a tecnologia ao e-commerce. 

 

3. Elaboração do Business Model Canvas

 

Com uma ideia de negócio e hipóteses de funcionamento, já é possível estruturar um exemplo de plano de negócios para startup utilizando a ferramenta Business Model Canvas (Canvas de Modelo de Negócio).

 

Basicamente, ele é um mapa visual com todos os elementos essenciais da sua startup, por exemplo:

 

  1. Proposta de valor: um app que permite criar um avatar personalizado com suas medidas e provar roupas sem sair de casa

  2. Segmento de clientes: jovens heavy users de redes sociais, público fashionista, e-shoppers em geral

  3. Canais: aplicativo para Android e iOS integrado ao e-commerce

  4. Relacionamento: autoatendimento e suporte do app

  5. Receitas: mensalidade paga pelos lojistas e anúncios

  6. Recursos: plataforma tecnológica, API e marca

  7. Atividades: desenvolvimento e manutenção do app, marketing digital B2B e B2C

  8. Parcerias: pequenas lojas de moda online, grandes varejistas de moda do e-commerce

  9. Estrutura de custos: desenvolvimento do app, contratação de equipe, investimento em marketing e relacionamento, prospecção de parcerias.

 

4. Validação do negócio

 

Na etapa de validação, o exemplo de plano de negócios para startup deverá ter sua viabilidade comprovada no mercado.

 

Essa é a hora de fazer pesquisas de campo, entrevistar consumidores e lojistas, explorar o mercado-alvo e descobrir se as pessoas realmente estão dispostas a pagar pelo seu produto.

 

5. Criação do MVP

 

Se você chegou à conclusão de que seu exemplo de plano de negócios para startup tem futuro, o próximo passo é criar um MVP (Minimum Viable Product, ou Produto Mínimo Viável).

 

Ele é uma versão inicial do produto com o mínimo de recursos possíveis para testar a viabilidade do negócio na prática.

 

No caso do aplicativo do nosso exemplo, seria uma “versão beta” liberada para um grupo restrito de usuários — aqueles que representam seu público-alvo, de preferência formadores de opinião.

 

Com o MVP, você pode aprimorar o app conforme recebe os feedbacks dos primeiros usuários, até chegar à versão completa para ser lançada no mercado. 

 

Por exemplo, você pode descobrir que os usuários preferem um recurso de realidade aumentada, e assim criar a nova funcionalidade antes do lançamento oficial para aumentar suas chances de sucesso.

 

Deu para entender melhor o processo com nosso exemplo de plano de negócios para startup? 


Seja qual for seu plano, conte com a gente para agilizar a abertura do seu negócio e contribuir com seu crescimento.