ESG em startups: 9 ações que ajudam a atrair investidores

ESG startups0
Blog > Inovação > ESG em startups: 9 ações que ajudam a atrair investidores

Sabia que com o ESG em startups você pode atrair mais investimentos para o seu negócio?

Ao longo deste artigo, vamos falar da importância do tema no mundo corporativo e mostrar como as startups estão se aproveitando disso.

ESG é a sigla para Environmental, Social and Governance, ou seja, Ambiental, Social e Governança, em português.

Consiste, basicamente, em um conjunto de medidas que busca reduzir os impactos ambientais, aumentar os impactos sociais e aprimorar o relacionamento com as pessoas.

Apoiado nesse tripé da economia moderna, muitas startups têm ganhado notoriedade, principalmente no desenvolvimento de soluções para outras empresas nas relações B2B.

Nos tópicos a seguir, descubra porque o ESG em startups tem a simpatia dos investidores e saiba como agarrar essa oportunidade.

ESG em startups: um critério de investimento

O viés ESG em startups tornou-se um importante diferencial quando o assunto é captação de recursos

Afinal, falar em startups é pensar em empresas cujo propósito é transformar o jeito de fazer negócios.

Na nova economia, em que os problemas sociais e ambientais não são responsabilidade apenas dos governos, o ESG tornou-se um termômetro de negócios “à prova de futuro”.

Empresas negligentes com o meio ambiente e com a sociedade não são vistas com bons olhos pelo mercado.

Startups focadas em solucionar problemas de natureza social, ambiental e de governança chamam a atenção de investidores, principalmente nas rodadas de investimento.

Embora a sigla ESG tenha aparecido com mais frequência nos últimos anos, o tema não é recente.

Especialistas, empresários e executivos discutem esses princípios há décadas.

A razão de tamanha preocupação é simples: a sobrevivência (não apenas das empresas, mas do planeta). 

Afinal, um negócio “à prova de futuro” precisa contribuir para que exista futuro.

Crescimento de startups focadas em ESG

Não por acaso, o ESG em startups tem crescido ao longo dos anos.

Cada vez mais os consumidores valorizam empresas que prezam pelo meio ambiente, valorizam as pessoas e adotam gestão ética e transparente. 

Uma pesquisa da Ace Cortex, divulgada em março de 2021, revela que 343 startups brasileiras atualmente atuam em soluções relacionadas à ESG.

Do total de negócios:

  • 180 propõem soluções ambientais (environmental)
  • 130 possuem negócios de impacto social (social)
  • 33 desenvolvem soluções de governança (governance).

No “braço ambiental”, que concentra 52,4% das startups pesquisadas, os principais serviços e produtos oferecidos são de gestão de energia (matrizes limpas e controle de poluentes) e mobilidade elétrica.

No “braço social”, destaque para edtechs (startups ligadas ao setor educacional), healthtechs (de saúde) e cybersecurity (segurança cibernética).

O “braço governança” do ESG (com menos de 10% das startups mapeadas), curiosamente, é o mais incipiente no contexto ESG.

Mais de 50% dos empreendedores ouvidos pela Ace Cortex apontam a área de governança como ainda deficitária em suas organizações, o que denota um nicho a ser explorado.

Captação de recursos

Outro estudo feito pela plataforma Distrito, denominado Inside ESG Tech Report, mostra que, desde 2011, as startups focadas em soluções ESG captaram US$ 991 milhões (cerca de R$ 5,48 bilhões).

Várias delas são do tipo B2B, ou seja, atendem outras empresas, como Ambev, Natura, Votorantim e Itaú.

Segundo informações da Morningstar, divulgados pelo Great Place to Work, o patrimônio de fundos de investimento dedicados ao ESG no mundo é de US$ 1 trilhão. 

O número, contudo, deve crescer.

Para a PwC, o investimento em negócios que se preocupam com as pessoas e com o meio ambiente deve ser de US$ 4,3 trilhões até 2030.

Outras vantagens do ESG em startups

Além da capacidade de atrair investidores, o ESG em startups tem outras vantagens, tais como:

Reputação e imagem

Ao entrar para o rol de negócios que adotam os critérios ESG, sua startup pode atrair profissionais qualificados que estão em busca de algo além do retorno financeiro

Passa a ser, também, uma marca admirada e respeitada pelo público, algo valioso para o crescimento sustentável no longo prazo

Vantagens financeiras

Além de atrair recursos por meio do venture capital, crowdfunding ou investidor-anjo, empresas ESG têm linhas de crédito específicas.

É o caso, por exemplo, do BNDES Crédito ASG, destinado a organizações comprometidas com os indicadores de sustentabilidade.

Agente de transformação

A principal vantagem do ESG, contudo, é o impacto positivo na transformação social e ambiental.

No fim das contas, todos ganham: a startup, que consegue atrair capital; os investidores, que têm ótimo Retorno Sobre o Investimento (ROI); e a sociedade, que consegue suprir suas necessidades sem comprometer as gerações futuras.

9 ações de ESG para sua startup fazer

Você viu que muitos investidores institucionais adotam como critério de seleção a agenda ESG ao decidir onde aportar recursos. 

Se você quer adotar boas práticas de gestão ESG em sua startup, confira as dicas a seguir:

Ambiental

  1. Logística reversa: reutilize materiais que chegaram ao fim do seu ciclo produtivo. Sua empresa pode reaproveitá-los no processo de produção ou vendê-los a empresas de reciclagem
  2. Energia renovável: invista em fontes de energia limpa, como fotovoltaica, eólica, dentre outras. É possível gerar a própria energia ou firmar parcerias com empresas do setor
  3. Redução do consumo: adote também práticas de consumo consciente, seja no ambiente interno ou na fabricação de seus produtos.

Social

  1. Projetos sociais: promova ou patrocine eventos que valorizam a cultura e promovem o desenvolvimento social
  2. Diversidade e inclusão: abrace a diversidade e a inclusão (etnia, PcD, orientação sexual, idade). O respeito ao próximo contribui para melhorar o clima de trabalho
  3. Segurança dos dados: cuide também da privacidade e da segurança dos dados pessoais de sua equipe e de seus clientes. Faz parte das boas práticas de compliance.

Governança

  1. Transparência: mais do que divulgar informações obrigatórias, a transparência deve fazer parte da gestão como um princípio. Divulgue informações claras, objetivas e compreensíveis a todos os interessados em seu negócio
  2. Tecnologia a favor da GGC: adote soluções tecnológicas que aprimorem a Gestão da Governança Corporativa (GGC) de sua empresa. Assim, será possível tomar boas decisões e controlar com eficiência as informações estratégicas de seu negócio
  3. Equidade: trate de maneira justa e isonômica todos os stakeholders, considerando seus direitos, deveres, interesses, necessidades e expectativas.

O ESG em startups pode até parecer uma moda corporativa, mas não é. 

Mais do que uma estratégia de investimento, trata-se de uma tendência global.

E então, preparado para atrair investidores para o seu negócio?

Se precisar de consultoria contábil, financeira, fiscal ou tributária, conte com a Comece Com o Pé Direito.

Agende um bate-papo com um de nossos especialistas e descubra o que podemos fazer por você.

Leave a Reply