Você sabe como realizar a projeção do fluxo de caixa da sua empresa?

A projeção de fluxo de caixa é uma ferramenta essencial para que a gestão de sua empresa esteja no caminho certo. Ela é baseada no controle das movimentações financeira, ou seja, todo o dinheiro que entra e sai do caixa e quando isso vai acontecer. Com esse resultado é possível fazer uma previsão financeira e planejar os próximos passos do seu negócio.


A ferramenta tem como principal objetivo facilitar a tomada de decisões. Uma vez que, com mais controle, você -  empreendedor ou administrador - tem a possibilidade de ter uma visão mais clara da realidade do seu negócio. Juliana Marques que trabalha na área Fiscal da Comece com o Pé Direito cita o seguinte exemplo: "Você sabe quanto a sua empresa gasta com fornecedores, tecnologia e folha de pagamento? Essa é a função do fluxo de caixa, saber qual o percentual do orçamento está sendo direcionada para cada centro de custo e com isso entender onde está concentrado o seu gasto mensal".


Porque é importante fazer uma projeção de fluxo de caixa?


Com a projeção de fluxo de caixa é possível obter um equilíbrio financeiro entre as entradas e saídas dos negócios, além de ter mapeado quais são os prazos dos recebimentos de clientes e de pagamentos dos fornecedores. Juliana alerta que para atingir esse equilíbrio é preciso conhecer o processo, utilizar um bom método de gestão e ter o suporte das ferramentas necessárias. Para que a projeção de fluxo de caixa seja feita de maneira correta, é indicado contar também com uma assessoria contábil.

"Essa visão nos demonstra como o caixa se comporta ao longo do tempo e o quão importante é para entendermos como os vários fatores influenciam no ciclo de caixa da empresa, porém, quando olhamos a estrutura financeira do caixa, temos outros fatores a serem analisados", comenta Juliana. Entre estes fatores estão:


  • Caixa disponível:  calculado através da soma do caixa inicial + entradas - saídas = caixa disponível;

  • Sobra ou necessidade de caixa: para as contas a receber - contas a pagar.

De acordo com Juliana, as entradas e saídas são fatos que já ocorreram, enquanto as contas a receber e as contas a pagar são fatos para o futuro, portanto, estão previstos.

Ao somar as visões do realizado (em relação ao passado e presente) e do previsto (futuro), o resultado é uma visão ampla que "nos permite, contando com o que temos em caixa, somado ao previsto analisar e prever cenários para as finanças do negócio, gerando assim informações e embasamentos para tomar decisões que assegurem o equilíbrio", explica Juliana.

Como devo fazer uma projeção de fluxo de caixa?

Para atingir resultados é necessário método "planejar, executar, controlar e agir", segundo Juliana. Essas podem ser ações para se ter uma gestão na prática. A Juliana explica o passo a passo de como fazer uma projeção de caixa:

1º passo - Planejamento - para isto, você tem que se perguntar: O que fazer? Onde fazer? Por que fazer? Quando fazer? Quem irá fazer? Como será feito? Quanto irá custar?

2º passo - Execução: colocar em prática o plano definitivo. Registro de receitas e despesas classificando-o por grupos e, principalmente, o monitoramento dos vencimentos;

3º passo - Controle trabalhando em conjunto com a execução: analisar o comportamento do fluxo de caixa; monitorar sobras e necessidades; analisar geradores de receitas e ofensores do orçamento; avaliar o resultado mensal e a disponibilidade do caixa.

Para ficar mais fácil de entender este item, Juliana utiliza o seguinte exemplo:

Através do monitoramento de prazos verificou-se um pagamento em 30 dias dos produtos adquiridos e o recebimento em 45 dias das vendas realizadas ao cliente. O período entre a entrada e a saída é de 60 dias.

Com saldo inicial de R$ 1.000,00 o negócio terá que pagar o fornecedor no dia 30 no valor de R$ 2.000,00, ficando assim com um saldo negativo de R$ 1.000,00. Com o recebimento do cliente no dia 90 no valor de R$ 4.000,00 terá um saldo positivo no valor de R$ 3.000,00.

Durante o prazo de 60 dias, terá uma necessidade de caixa, o que pode gerar um custo com os juros bancários, aquisição de capital de giro ou atrasos em outros pagamentos.

Os controles indicam que um ajuste no ciclo de caixa é necessário para que as suas necessidades de caixa tenham um menor custo possível.

4º passo -  Ação: As ações que equilibram a manutenção do negócio: adequação de prazos, redução de custos, provisionamentos em meses anteriores e cobrança de recebimentos em atrasos.

Usando novamente o exemplo dado por Juliana, há a opção de renegociar as contas a pagar com os fornecedores buscando aumento de prazos, diminuindo, assim, o período de caixa negativo. "O setor comercial nesse caso poderá negociar a política comercial negociando 50% em uma data e a outra metade em outra. Com o aumento de prazo as contas a pagar passaram ao dia 60, o que influencia em não depender de caixa e o período sem liquidez será eliminado", explica Juliana.

O exemplo nos proporciona um entendimento mais prático de como funciona a projeção de fluxo de caixa e como gerenciá-la. Utilizando esta ferramenta, você poderá tomar decisões mais assertivas para assegurar que sua empresa terá um crescimento sem turbulências, além de realizar um controle mais eficiente do fluxo de caixa.

Juliana, ainda, destaca que a projeção de fluxo de caixa pode ser elaborada em uma planilha e com pouco de disciplina. Segundo ela, com esses elementos é possível manter o fluxo de caixa ativo. A planilha deve contar as receitas, ou seja, vendas de produtos e serviços mensais. O próximo passo é deduzir os impostos que incidem sob seu negócio sobre a receita, obtendo, desta forma, a receita líquida.

Juliana recomenda também dividir as despesas de sua empresa por categorias, e exemplifica: "Despesas com Investimentos e Ativos (reformas e instalações, aquisições de máquinas e equipamentos, licença de usos de software), despesas administrativas (aluguel, energia, água, internet, material de escritório), despesas com marketing (feiras, eventos, publicidade, propaganda), despesas com a operação (servidores, licenças de software, serviços terceirizados), despesas com Recursos Humanos (remuneração, 13º salário, férias, prêmios, rescisões, vale transporte, alimentação, bolsas de auxílio), despesas com impostos e taxas (PIS, COFINS, IRPJ, IRRF, INSS, FGTS), despesas financeiras (multas, juros, taxas sobre financiamentos), entre outras".

Vamos a mais um exemplo prático, citado por Juliana, para que fique bem claro como fazer uma projeção de fluxo de caixa:


Mês

Contas a receber

Estoque e Contas a Pagar

Total do giro

Lucro obtido

Jan/19

R$ 10.000,00

R$ 5.000,00

R$ 5.000,00


Fev/19

R$ 20.000,00

R$ 10.000,00

R$ 10.000,00


Mar/19

R$ 30.000,00

R$ 15.000,00

R$ 15.000,00


Abr/19

R$ 40.000,00

R$ 20.000,00

R$ 20.000,00

R$50.000,00


O controle de todas as despesas deve ser feito mensalmente com o intuito de identificar quais serão os gastos que a empresa terá todo o mês. Com a iniciativa também é possível projetar os próximos meses.

Precisa de ajuda para realizar a sua projeção de fluxo de caixa? Nós, da Comece com o Pé Direito, temos atendimento diferenciado, mentoria de especialistas na área e estamos sempre prontos para oferecer a solução mais adequada para o seu negócio. Agende uma conversa com um dos nossos especialistas!